SUMMIT-CEO do Yahoo, Marissa Mayer, foca estratégia em vídeos

sexta-feira, 21 de junho de 2013 10:32 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SÃO FRANCISCO, 21 Jun (Reuters) - Com Marissa Mayer se aproximando de completar um ano como presidente-executiva do Yahoo, ela está trabalhando próxima do modelo tradicional de publicidade do portal Web em dificuldade e encarando o aumento da programação de vídeos de todos os tipos como central para a estratégia.

"Estamos trabalhando em vários métodos em termos de como podemos aumentar nossas visualizações de vídeos, e audiência", afirmou Marissa no Reuters Global Technology Summit, na quinta-feira. "É claro para mim que o nosso negócio de vídeo é algo que está crescendo muito. Isso é algo que nós gostaríamos de acelerar."

O Yahoo está fazendo uma oferta para adquirir o Hulu, o canal online para a programação de TV de propriedade da Walt Disney e News Corp, disseram fontes com conhecimento da situação à Reuters.

A presidente-executiva não quis comentar sobre a oferta para Hulu.

Vídeos online merecem preços de anúncios mais elevados do que outros tipos de conteúdo Web e se tornaram uma arena altamente competitiva, como é cada vez mais visto como uma resistência contra o declínio nos preços de anúncios online.

Marissa renovou produtos essenciais, tais como o email e a home page do Yahoo, e começou a fazer aquisições. Na quinta-feira, o Yahoo fechou a aquisição do Tumblr por 1,1 bilhão de dólares, um serviço de blogs que é um dos centros mais populares de conteúdo gerado pelo usuário da Web.

O maior objetivo a curto prazo do Yahoo, e o critério mais importante para medir o seu progresso, será a taxa de aumento na quantidade de tempo que os usuários gastam em seus sites, disse Marissa.

"O desafio para o Yahoo no momento é o tráfego. Como podemos aumentar o tráfego? Como é que vamos aumentar o uso? Porque isso acabará por elevar a receita."

"Eu acredito em anúncios, eu gosto de anúncios. Podemos tentar algumas outras coisas, mas o Yahoo é uma empresa de publicidade", disse Mayer, mas acrescentou que isso não significa que o Yahoo irá cortar a sua programação original própria.

(Reportagem adicional de Poornima Gupta e Edwin Chan)

 
Marissa Mayer, presidente e CEO da Yahoo, responde a perguntas nos escritórios da Thomson Reuters em São Francisco, na Califórnia. 20/06/2013. REUTERS/Beck Diefenbach