Dilma considera caso de espionagem "violação de soberania"

segunda-feira, 8 de julho de 2013 22:53 BRT
 

Por Maria Carolina Marcello e Leonardo Goy

BRASÍLIA, 8 Jul (Reuters) - O governo vai investigar as denúncias de suposta espionagem por parte do governo norte-americano, consideradas pela presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira uma "violação de soberania" caso sejam confirmadas.

A presidente disse que a posição do Brasil é "muito clara e muito firme" em discordar de interferências no país ou em qualquer outro Estado.

"Se houver participação de outros países, outras empresas, que não aquelas brasileiras, seguramente é violação de soberania, sem dúvida, como é violação de direitos humanos", disse a presidente, referindo-se a denúncias feitas pelo jornal O Globo.

A reportagem do jornal citou documentos fornecidos pelo ex-funcionário da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden sobre um amplo esquema de monitoramento por parte da agência norte-americana que teria espionado comunicações eletrônicas e telefônicas de brasileiros.

"Agora, temos que ver sem precipitação, sem pré-julgamentos, temos que investigar", acrescentou Dilma.

Um procedimento de fiscalização para apurar se as empresas de telecomunicações sediadas no Brasil violaram o sigilo de dados ou de comunicações de clientes foi instaurado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta segunda-feira.

"(A Anatel) trabalhará em cooperação com a Polícia Federal e demais órgãos do governo federal nas investigações referentes ao assunto, no âmbito de suas atribuições", disse a agência reguladora em nota à imprensa.

Os Estados Unidos, no entanto, negaram a suposta espionagem por meio do embaixador norte-americano no Brasil, Thomas Shannon, segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.   Continuação...