Yahoo adquire navegador RockMelt para impulsionar produtos móveis

sexta-feira, 2 de agosto de 2013 17:02 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO, 2 Ago (Reuters) - O Yahoo adquiriu o navegador de web RockMelt, em mais um movimento do portal de Internet de garimpar tecnologia e talentos de engenharia para reforçar seus produtos de redes sociais em aparelhos móveis.

O Yahoo não informou os termos financeiros da transação, mas uma fonte próxima ao tema afirmou que o preço ficou entre 50 milhões e 80 milhões de dólares.

A companhia irá desativar o produto da RockMelt em 30 dias e integrar a tecnologia com a plataforma de mídia do Yahoo para "entregar conteúdo de novas maneiras", afirmou uma porta-voz do Yahoo.

A empresa absorverá 32 funcionários da RockMelt como parte do negócio, incluindo o seu presidente-executivo, Eric Vishria, que se tornará vice-presidente de produtos da área de propriedade de mídia do Yahoo, e o diretor de tecnologia da , Tim Howes, que se tornará vice-presidente de engenharia para os produtos móveis do Yahoo, de acordo com a fonte.

O browser da RockMelt, lançado em 2010, integra ferramentas das redes sociais diretamente com o navegador, permitindo aos usuários enviar mensagens do Facebook e navegar no Twitter. O browser nunca cresceu suficientemente para ameaçar navegadores gigantes como o Chrome do Google e o Internet Explorer da Microsoft.

No último ano, a empresa passou a focar estritamente na versão móvel de seus produtos.

Trata-se da 21a aquisição promovida pela presidente do Yahoo, Marissa Mayer. A maior parte dos negócios envolveu transações menores para adquirir talentos de engenharia. O maior negócio envolvendo o Yahoo foi a aquisição por 1,1 bilhão de dólares do serviço de blogging Tumblr em maio.

O Yahoo está entre as empresas online mais populares do mundo, com centenas de milhões de usuários mensais, mas suas receitas desaceleraram enquanto consumidores e anunciantes migram para Facebook, Google e outros destinos na web.

A RockMelt arrecadou aproximadamente 40 milhões de dólares de empresas de capital de risco, como a Andreessen Horowitz, Accel Partners e Khosla Partners.

(Reportagem de Alexei Oreskovic)