Tim Cook lidera uma silenciosa revolução cultural na Apple

quinta-feira, 22 de agosto de 2013 13:42 BRT
 

SAN FRANCISCO, 22 Ago (Reuters) - Pouco depois de assumir como vice-presidente de operações do Facebook, Sheryl Sandberg estava procurando estabelecer contato com pessoas de igual cargo --o de número dois numa empresa comandada por um jovem fundador brilhante e apaixonado. Ela ligou para Tim Cook.

"Ele basicamente explicou muito bem que o meu trabalho era fazer as coisas que Mark (Zuckerberg) não desejava focar tanto", disse Sandberg a respeito de uma reunião de várias horas com o então vice-presidente de operações da Apple.

"Esse era o seu trabalho com Steve (Jobs). Ele explicou que o trabalho iria mudar com o tempo e que eu deveria estar preparada para isso", disse.

Enquanto Sandberg manteve as funções no Facebook de lá para cá, o trabalho de Cook mudou radicalmente. Agora, o homem que recebeu uma das tarefas mais assustadoras do mundo dos negócios --substituir Steve Jobs e manter a Apple no topo-- pode ser quem precisa de aconselhamento.

Sob o comando de Cook há dois anos, a Apple deve lançar um iPhone redesenhado no próximo mês. Será um momento-chave para o executivo.

A empresa que ele herdou tornou-se uma criatura muito diferente: uma gigante corporativa madura ao invés de uma pioneira na indústria, com o preço das ações caindo 5 por cento no ano, apesar de uma escalada recente dos papéis. O S&P 500, índice com as empresas mais importantes dos EUA, subiu cerca de 15 por cento no mesmo período.

A transição foi, talvez, inevitável após a Apple viver cinco anos surpreendentes, durante os quais aumentou seu faturamento em mais de seis vezes, elevou os lucros em 12 vezes, e viu o preço das ações saltar de 150 dólares para um pico de 705 dólares no último outono do hemisfério norte.

Mas a passagem tem sido dolorosa para alguns.

Não está claro se Cook conseguirá remodelar com sucesso a cultura construída por Jobs. Embora ele tenha conseguido administrar bem as linhas de iPhones e iPads, que continuam a entregar lucros enormes, a Apple ainda não lançou um novo produto sob sua gestão. Conversas sobre televisões e relógios permanecem sendo apenas conversas.   Continuação...