Facebook diz que países pesquisaram 38 mil usuários no 1º semestre

terça-feira, 27 de agosto de 2013 17:05 BRT
 

SAN FRANCISCO, 27 Ago (Reuters) - Os governos procuraram informações sobre mais de 38 mil usuários do Facebook no primeiro semestre de 2013 e a maior rede social do mundo atendeu a maioria dos pedidos, disse a empresa em seu primeiro relatório sobre a escala de consultas de dados que recebe de países ao redor do mundo.

O relatório segue as alegações do ex-prestador de serviço de uma agência de espionagem dos Estados Unidos Edward Snowden de que praticamente todas as grandes empresas de Internet - incluindo Facebook, Google e Microsoft - rotineiramente abrem os dados de milhões de usuários a agências de inteligência.

O Facebook tem mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo.

Autoridades policiais dos Estados Unidos foram, de longe, as mais ativas na prospecção de dados do Facebook, buscando informações sobre cerca de 20 mil a 21 mil usuários entre janeiro e junho.

Isso representa um ligeiro aumento frente ao segundo semestre de 2012, quando as agências dos EUA solicitaram informações sobre cerca de 18 mil a 19 mil contas do Facebook, de acordo com números divulgados anteriormente pela empresa.

O Facebook cumpriu cerca de 80 por cento destes pedidos, disse a empresa nesta terça-feira.

Autoridades de outros países com grandes bases de usuários do Facebook, incluindo Índia, Reino Unido e Alemanha, também solicitaram informações sobre milhares de usuários.

No Brasil, foram 715 solicitações entre janeiro e junho, referentes a 857 usuários ou contas, com 33 por cento dos pedidos atendidos. A rede social possui 76 milhões de usuários no país.

O Facebook, que divulgou os números em seu primeiro "Relatório Global de Requisições de Autoridades", disse que examina individualmente cada pedido de informação e exige que os governos cumpram "um nível de justificativa legal muito alto" para receber os dados do usuário.   Continuação...