Portugal Telecom deve ter resultado operacional melhor em 2014--analistas

segunda-feira, 16 de setembro de 2013 12:20 BRT
 

LISBOA, 16 Set (Reuters) - A Portugal Telecom deverá melhorar resultados operacionais em Portugal a partir de 2014, o que dará margem para a empresa reduzir seu elevado endividamento e apoiar um eventual aumento de capital na Oi, segundo relatório do banco de investimento Espírito Santo, que reiterou a recomendação de "compra" sobre a empresa.

Os analistas do banco cortaram o preço-alvo da Portugal Telecom de 4,7 para 3,9 euros, devido a uma redução de estimativas de desempenho, mas salientaram que ainda enxergam um potencial de valorização de 20 por cento ante a cotação atual de 3,21 euros na NYSE Euronext Lisbon.

"Operacionalmente, esperamos que o Ebitda doméstico da Portugal Telecom volte a crescer em 2014 e, quanto à Oi, estamos agora mais confiantes quanto à sua recuperação devido às mudanças na gestão", afirmaram os analistas do banco no relatório.

Segundo os analistas, a diferença de 30 por cento da ação da Portugal Telecom frente ao índice de telecomunicações da Europa é excessiva.

"Segundo as nossas previsões, o fluxo de caixa doméstico deverá melhorar materialmente nos próximos anos", disseram os analistas no relatório, citando três fatores cruciais.

O primeiro será o aumento no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da operação doméstica, após uma contração acumulada de 21 por cento entre 2010 e 2013, devido à profunda recessão portuguesa e aos elevados investimentos no serviço de TV paga MEO e na rede de fibra ótica da empresa.

O segundo fator citado pelo banco está na redução significativa do investimento, devido à conclusão da rede de fibra ótica do grupo, que foi necessária para o lançamento e massificação do serviço triplo -- telefone fixo, Internet e televisão -- MEO, desde 2009.

O Espírito Santo acrescentou que o terceiro fator favorável é o recentemente anunciado corte do generoso dividendo anual do grupo, que permitirá uma poupança de 200 milhões de euros por ano.

AUMENTO CAPITAL NA OI   Continuação...