Planos da Alcatel não serão aceitos sem acordo sindical, diz governo francês

quinta-feira, 10 de outubro de 2013 10:20 BRT
 

PARIS, 9 Out (Reuters) - A fabricante de equipamentos de telecom Alcatel-Lucent deve negociar um bom acordo com sindicatos para salvar o máximo possível de empregos ou enfrentar o risco de sua reestruturação não ser aprovada, disse o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault nesta quarta-feira.

A empresa revelou na terça-feira planos de cortar 10 mil empregos em todo o mundo, incluindo 900 na França.

"Nós queremos negociação que salve o máximo possível de empregos, no máximo possível de unidades", disse Ayrault ao rádio Europe 1, acrescentando que a lei trabalhista aprovada no início deste ano deu aos trabalhadores mais direitos de negociação.

"Se não houve um acordo amplo (com os sindicatos) o plano social não será aceito, porque a lei agora dá ao Estado a responsabilidade de agir", disse Ayrault sem especificar quais seriam as consequências.

(Por Marine Pennetier e Ingrid Melander)

 
Funcionários da Alcatel-Lucent realizam manifestação em frente da fábrica da empresa em Orvault, na França. A fabricante de equipamentos de telecom deve negociar um bom acordo com sindicatos para salvar o máximo possível de empregos ou enfrentar o risco de sua reestruturação não ser aprovada, disse o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault nesta quarta-feira. 08/10/2013 REUTERS/Stephane Mahe