Novos leilões de 4G precisam ser complementares à licitação de 2,5 GHz--presidente da Claro

terça-feira, 22 de outubro de 2013 17:38 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 22 Out (Reuters) - O presidente da Claro, Carlos Zenteno, disse nesta terça-feira que o leilão de 700 MHz previsto para o ano que vem precisa ser complementar ao realizado no ano passado com a frequência de 2,5 GHz, de forma que as empresas não tenham que desembolsar montantes tão elevados quanto no último certame.

"Entendemos que já pagamos a parte principal do espectro", disse Zenteno, ao citar o montante de cerca de 1 bilhão de reais desembolsado pela Claro no primeiro leilão 4G com frequência de 2,5 GHz, realizado no ano passado. Segundo ele, se os leilões forem considerados complementares para a Anatel, isso ajudará as empresas a atingirem as metas de cobertura com mais rapidez.

Zenteno afirmou que a Claro tem interesse no leilão de 700 MHz, mas enfatizou que tudo dependerá das "condições em que esse leilão vai ser lançado".

"Entendemos que esse leilão deveria ser um complemento do leilão que aconteceu de 2,5 GHz", disse. "O preço que pagamos pelo espectro 2,5 GHz foi um pagamento de praticamente 1 bilhão de reais, considerando as frequências complementares."

(Por Luciana Bruno)