Emissão de bônus da Telecom Italia derruba ações

sexta-feira, 8 de novembro de 2013 13:50 BRST
 

MILÃO, 8 Nov (Reuters) - As ações da Telecom Italia tinham queda de mais de 5 por cento nesta sexta-feira, depois que a companhia revelou um plano para levantar 4 bilhões de euros para fortalecer suas finanças e para fazer emissão de bônus conversíveis.

Em uma mudança de estratégia que prevê a venda pelo grupo da unidade Telecom Argentina, o presidente-executivo da Telecom Italia, Marco Patuano, afirmou no final da quinta-feira que as medidas ajudarão a empresa altamente endividada a investir no mercado italiano e a crescer no Brasil.

Sobre a unidade brasileira TIM Participações, Patuano afirmou a analistas que considera a empresa um ativo essencial. Mas acrescentou que a unidade pode ser vendida a um "preço convincente".

Uma fonte próxima do assunto afirmou que a Telecom Italia quer pelo menos 9 bilhões de euros pela TIM.

Um analista afirmou que as expectativas para um anúncio de venda da TIM eram tão altas, que a notícia de que a empresa não será oferecida agora gerou alguma decepção no mercado. Sobre a Argentina, a Telecom Italia informou que já recebeu uma oferta pelo ativo.

EMISSÃO

Nesta sexta-feira, a Telecom Italia levantou 1,3 bilhão de euros por meio da emissão obrigatória de um bônus a 6,75 por cento, que será convertido em ações ordinárias em um período de três anos.

As medidas para ajudar o grupo a recuperar o crescimento também incluem a venda de 17 mil torres de telefonia celular na Itália e no Brasil e das atividades de transmissão de conteúdo digital. As vendas devem ajudar a Telecom Italia a levantar cerca de 2 bilhões de euros.

O plano tem o apoio da espanhola Telefónica, maior acionista da Telecom Italia. A Telefónica fez acordo em setembro para gradualmente assumir o controle da companhia italiana a partir do próximo ano.   Continuação...

 
Antena da Telecom Italia é vista em Roma. As ações da Telecom Italia tinham queda de mais de 5 por cento nesta sexta-feira, depois que a companhia revelou um plano para levantar 4 bilhões de euros para fortalecer suas finanças e para fazer emissão de bônus conversíveis. 12/11/2012. REUTERS/Alessandro Bianchi