Juíza dos EUA recusa ação contra Apple por privacidade de dados

quinta-feira, 28 de novembro de 2013 10:45 BRST
 

28 Nov (Reuters) - Uma juíza federal da Califórnia recusou um processo de consumidores sobre privacidade de dados contra a Apple, dizendo que os requerentes não conseguiram demonstrar que se basearam em uma suposta declaração falsa da companhia e que sofreram danos.

Os quatro requerentes alegaram em 2011 que a Apple violou sua política de privacidade, afirmando que a fabricante do iPhone teria projetado seu ambiente iOS para transmitir informações pessoais com facilidade para terceiros, que coletariam e analisariam tais dados sem consentimento ou detecção dos usuários.

Eles também alegaram que sofreram danos ao pagar dinheiro demais por seus iPhones e por perderem espaço de armazenamento, entre outras coisas, de acordo com documentos da corte.

A juíza distrital dos Estados Unidos Lucy H. Koh, em San Jose, Califórnia, recusou o caso.

"Os requerentes devem providenciar alguma prova de que eles testemunharam uma ou mais das alegadas falsas declarações da Apple, que eles realmente se basearam nestas declarações falsas, e que eles então sofreram danos", disse Koh no julgamento de 25 de novembro.

Advogados dos requerentes e da Apple não comentaram o assunto.

(Por Casey Sullivan)

 
Pessoas conferem várias versões do novo iPhone 5C após evento da Apple em Cupertino, nos Estados Unidos. Uma juíza federal da Califórnia recusou um processo de consumidores sobre privacidade de dados contra a Apple, dizendo que os requerentes não conseguiram demonstrar que se basearam em uma suposta declaração falsa da companhia e que sofreram danos. 10/07/2013. REUTERS/Stephen Lam