JD.com baterá meta de vendas conforme chineses se voltam à Internet

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013 11:40 BRST
 

PEQUIM, 23 Dez (Reuters) - O JD.com, o segundo maior site de comércio eletrônico da China, deve ultrapassar 100 bilhões de iuanes (16,47 bilhões de dólares) em vendas anuais pela primeira vez em um mercado que tem atraído investimentos de nomes globais do varejo como Amazon e Wal-Mart.

Os volumes de vendas irão provavelmente bater a meta da empresa de 100 bilhões de iuanes em comparação aos 60 bilhões de iuanes em 2012, disse a companhia em um comunicado divulgado nesta segunda-feira. A rival menor do chinês Alibaba Group Holding disse que atingiu equilíbrio entre custos e receitas nos primeiros três trimestres do ano e que pode se tornar lucrativa a qualquer momento, mas se recusou a ser mais específica.

As vendas chinesas de empresas para consumidores no comércio eletrônico devem ultrapassar a marca de 180 bilhões de dólares este ano devido a uma crescente taxa de penetração da Internet, rendas da classe média em expansão e uma rede de distribuição em melhoria costante, de acordo com a eMarketer, uma empresa de pesquisa de mercado baseada em Nova York.

Os prospectos de comércio eletrônico do país têm atraído investimentos do Wal-Mart, que agora detém cerca de 51 por cento da loja virtual chinesa Yihaodian. A Amazon comprou a loja virtual Joyo.com em 2004, que eventualmente acabou se tornando na Amazon China.

Como empresa de capital fechado, a JD.com não divulga números de receita, e não disse se atingiu equilíbrio em anos anteriores.

(Por Adam Rose)

 
Chen Honglei, 26, um entregador da Jingdong, também conhecida como JD.com, prepara seu tricíclo elétrico antes de deixar a estação de entregas da empresa no distrito de Haidian em Pequim. O JD.com, o segundo maior site de comércio eletrônico da China, deve ultrapassar 100 bilhões de iuanes (16,47 bilhões de dólares) em vendas anuais pela primeira vez em um mercado que tem atraído investimentos de nomes globais do varejo como Amazon e Wal-Mart. 20/11/2013 REUTERS/Paul Carsten