Previsão de lucro da Samsung não alcança estimativas devido a bônus pagos

terça-feira, 7 de janeiro de 2014 10:41 BRST
 

SEUL, 7 Jan (Reuters) - A Samsung teve um lucro menor do que até a previsão mais conservadora de analistas no período outubro-dezembro, após desembolsar estimado 1 bilhão de dólares em bônus para marcar os 20 anos desde que o presidente do Conselho da empresa a colocou no caminho para se tornar uma gigante global.

A maior fabricante de smartphones do mundo usou cerca de 50 bilhões de dólares para recompensar amplamente seus funcionários, apenas dois meses após aumentar seu rendimento de dividendos muito menos do que muitos investidores esperavam.

O lucro operacional do quarto trimestre ficou provavelmente em 8,3 trilhões de wons (7,79 bilhões de dólares), queda de 6 por cento na comparação anual e 18 por cento ante um terceiro trimestre recorde, disse a Samsung nesta terça-feira antes de uma leitura final no dia 24 de janeiro.

O número foi puxado para baixo por bônus pagos aos funcionários do alto ao baixo escalão, em comemoração à estratégia de "Nova administração" do presidente do Conselho, Lee Kun-hee, que analistas colocaram entre 300 bilhões a 700 bilhões de wons.

O lucro seria então menor que a previsão mais pessimista, de 8,8 trilhões de wons, entre 23 analistas que participaram de uma pesquisa da Reuters, e o menor desde os 8,1 trilhões de wons no período de julho a setembro de 2012.

"Os pagamentos especiais de incentivo da Samsung para funcionários incluindo unidades domésticas e estrangeiras foram aparentemente muito maiores que o mercado esperava; custos de marketing de seu negócio móvel também podem ter sido maiores", disse Kim Young-chan, analista da Shinhan Investment.

(Por Miyoung Kim, Hyunjoo Jin e Joyce Lee)

 
Homem saindo da sede da Samsung em Seul, Coreia do Sul, 6 de janeiro de 2014. A Samsung teve um lucro menor do que até a previsão mais conservadora de analistas no período outubro-dezembro, após desembolsar estimado 1 bilhão de dólares em bônus para marcar os 20 anos desde que o presidente do Conselho da empresa a colocou no caminho para se tornar uma gigante global. 06/01/2014 REUTERS/Kim Hong-Ji