Papa pede mais calma e ternura no mundo digital

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 13:12 BRST
 

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO, 23 Jan (Reuters) - O mundo digital em alta velocidade das redes sociais, quase sempre superficial, precisa de uma injeção de calma, reflexão e ternura para se tornar "uma rede não só de fios, mas de pessoas", disse nesta quinta-feira o papa Francisco.

O papa, em mensagem para o Dia Mundial das Comunicações da Igreja Católica, também afirmou que, enquanto católicos devem celebrar e defender suas ideias e tradições, não devem nunca pensar que elas sozinhas "são válidas ou absolutas".

Mais uma vez o pontífice denunciou o "fosso escandaloso" entre ricos e pobres, declarando que não é incomum ver sem-tetos dormindo nas ruas sob o brilho da vitrines de lojas.

Francisco disse que os meios de comunicação e a Internet, os quais ele chamou de "algo verdadeiramente bom, um presente de Deus", poderia unir as pessoas, mas que a comunicação digital frequentemente impede que elas conheçam de fato umas as outras.

"A velocidade com a qual a informação é comunicada supera a nossa capacidade de reflexão e julgamento", disse Francisco em sua mensagem.

"A variedade de opiniões sendo transmitidas pode ser vista como boa, mas também pode levar as pessoas a se entrincheirar atrás das suas fontes de informação, que vão apenas confirmar os seus desejos e ideias, ou interesses políticos e econômicos", declarou.

Ele pediu que as pessoas sejam não só tolerantes no ambiente digital, mas que também ouçam e tentem entender os pontos de vista dos outros.

Francisco, de 77 anos e nascido na Argentina, denunciou a por vezes "agressão violenta" da mídia e de comunicações que têm como objetivo principal a promoção do consumo e a manipulação.   Continuação...

 
O papa Francisco chega para uma vista pastoral no centro de Roma. O mundo digital em alta velocidade das redes sociais, quase sempre superficial, precisa de uma injeção de calma, reflexão e ternura para se tornar "uma rede não só de fios, mas de pessoas", disse nesta quinta-feira o papa Francisco. 19/01/2014 REUTERS/Tony Gentile