Foxconn avalia fábricas nos EUA e Indonésia conforme brilho da China apaga

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 10:10 BRST
 

TAIPÉ, 27 Jan (Reuters) - A taiuanesa Foxconn, a maior fornecedora de iPhones e iPads da Apple, pode construir fábricas de alta tecnologia nos Estados Unidos e instalações de baixo custo na Indonésia conforme o apelo de "fabricado na China" se torna um fardo.

Pressionada por custos crescentes e agitações trabalhistas na China, o presidente do Conselho, Terry Gou, disse a funcionários no domingo que a Foxconn está considerando a diversificação além de sua base de fabricação. A maior fabricante de produtos eletrônicos sob contrato do mundo tem pouca escolha se deve proteger suas margens e permanecer à frente de concorrentes que adaptaram a estratégia da Foxconn para suas próprias histórias de sucesso.

"Os Estados Unidos são um mercado no qual devemos estar", disse Gou, falando na festa anual do grupo no domingo em comemoração do final do ano chinês. Muitos clientes e parceiros pediram à Foxconn que começasse a operar nos EUA, disse GOU, com um olho em fabricação avançada muito mais perto de suas bases natais.

Ao mesmo tempo, a Indonésia será uma prioridade este ano como uma base de produção em potencial, com habilidades e custos atraentes. Isso se encaixaria com o acordo da Foxconn para projetar e comercializar telefones no país com a BlackBerry conforme a companhia canadense busca reverter sua queda no negócio de smartphones.

"A Foxconn não tem outra escolha", disse Danny Lee, administrador de fundos na unidade de fundos da Mega Financial Holding. "A China já não é mais um centro de fabricação para companhias no mundo, e especialmente para a indústria de PC".

(Por Faith Hung e Michael Gold)