Facebook quer tomar coroa de "segunda tela" do Twitter no Super Bowl

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014 13:55 BRST
 

SAN FRANCISCO, 31 Jan (Reuters) - Mais de 100 milhões de pessoas estarão com os olhos grudados em seus televisores no domingo, quando os Denver Broncos enfrentarem os Seattle Seahawks no mais importante evento esportivo dos Estados Unidos, o Super Bowl.

Porém outras duas rivais, o Facebook e o Twitter, também estarão se enfrentando em uma "segunda tela" na qual os telespectadores vão se conectar para o jogo.

As duas redes sociais estão disputando para se tornar o veículo escolhido pelos fãs para comentários sobre grandes jogadas, o show do intervalo cheio de estrelas e, claro, os comerciais - produções multimilionárias de grandes marcas que por vezes são atrações por si só.

Há anos o líder da "segunda tela" tem sido o Twitter, que posicionou sua plataforma de mensagens de até 140 caracteres como o lugar ideal para que os espectadores discutam os eventos conforme eles acontecem, de debates presidenciais até premiações de cinema. Mas o Facebook, a maior rede social do mundo com 1,2 bilhão de usuários - cerca de cinco vezes o tamanho do Twitter - está agora fazendo jogadas agressivas para entrar ele mesmo na conversa em tempo real.

O Facebook fez diversas mudanças que imitam seu rival menor. Em dezembro, a rede social maior começou a mostrar tópicos em alta no lado direito da página inicial, um recurso que o Twitter tem no lado esquerdo. No ano passado, o Facebook também introduziu as "hashtags", ou palavras-chave clicáveis que os usuários do Twitter normalmente usam para acompanhar conversas virais.

(Por Alexei Oreskovic, Gerry Shih, Jennifer Saba)

 
O troféu Vince Lombardi e os capacetes dos Seattle Seahawks e dos Denver Broncos em uma mesa antes da coletiva de imprensa com os técnicos antes do Super Bowl, em Nova York. Mais de 100 milhões de pessoas estarão com os olhos grudados em seus televisores no domingo, quando os dois times se enfrentarem no mais importante evento esportivo dos Estados Unidos, o Super Bowl. 31/01/2014 REUTERS/Carlo Allegri