China diz que pedido de Kerry por liberdade na Internet é ingênuo

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014 12:12 BRT
 

PEQUIM, 17 Fev (Reuters) - A China criticou o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, nesta segunda-feira por seu pedido "ingênuo" por mais liberdade na Internet do país e questionou o motivo de uma discussão que ele teve com blogueiros chineses não ter mencionado o ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden.

Durante uma conversa de cerca de 40 minutos com blogueiros chineses em Pequim no sábado, Kerry expressou seu apoio à liberdade online na China, assim como aos direitos humanos em geral.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China Hua Chunying disse que pessoas de fora não têm o direito de fazer julgamentos e entendem mal a real situação.

"Se a Internet da China não tivesse passado por um enorme desenvolvimento nos últimos anos, então de onde teriam vindo esses blogueiros?", disse ela em entrevista coletiva.

"Os assuntos da China devem ser decididos pelo povo chinês baseado em sua própria condição nacional. Usar métodos como esse para pressionar a China na direção que querem, não é ingênuo?"

"Acho que o tópico dessa discussão devia ser mais bem aberto, por exemplo, discutindo o caso Snowden e questões como essa", disse ela, se referindo ao ex-prestador de serviços da NSA cujos vazamentos constrangeram Washington.

(Reportagem de Ben Blanchard)

 
O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, faz uma pausa enquanto discursa sobre mudanças climáticas em Jacarta. A China criticou Kerry nesta segunda-feira por seu pedido "ingênuo" por mais liberdade na Internet do país e questionou o motivo de uma discussão que ele teve com blogueiros chineses não ter mencionado o ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden. 16/02/2014 REUTERS/Evan Vucci/Pool