Brasil seguirá tendência de consolidação em telecom, diz Telefônica

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014 15:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado brasileiro de telecomunicações deve seguir a tendência global de consolidação que vem acontecendo em regiões como Europa e Estados Unidos, disse nesta quarta-feira o presidente-executivo da Telefônica Brasil, Antonio Carlos Valente.

"O Brasil tem estado fora desses movimentos mas, sendo um dos maiores mercados de telecomunicações do mundo, esse tema vai estar presente aqui", disse a jornalistas, ressalvando que seu comentário não tem necessariamente ligação com a possível venda da rival TIM Participações.

O executivo citou casos como o do japonês SoftBank, que após comprar a norte-americana Sprint, está negociando comprar também nos EUA a T-Mobile; e da Deutsche Telekom, que está reforçando o controle da T-Mobile na República Tcheca.

O presidente-executivo da Telecom Italia, Marco Patuano, disse nesta terça-feira que não há nenhuma discussão sobre uma eventual venda de sua unidade TIM Participações e disse que a operadora pretende aumentar os investimentos no Brasil.

Há meses o mercado especula sobre a chance da TIM ser dividida entre suas concorrentes no Brasil, após a Telefónica ter feito acordo no ano passado para aumentar sua fatia no grupo de controle da Telecom Italia.

O Cade, órgão antitruste brasileiro, disse em dezembro que a Telefónica terá que vender sua participação na TIM ou buscar um novo parceiro para a Vivo, braço de telefonia móvel da Telefônica Brasil.

INVESTIMENTOS EM DADOS

Para Valente, a crescente entrada das operadoras de telecomunicações no mercado de dados, com vistas a ter uma fonte cada vez mais diversificada de receitas, tem sido um catalisador dos movimentos recentes de consolidação.

"A entrada cada vez maior das operadoras no tráfego de dados exige investimentos extremamente altos", disse Valente.   Continuação...