Turquia diz que vazamento no YouTube foi "vilania" e ordena bloqueio do site

quinta-feira, 27 de março de 2014 20:11 BRT
 

Por Nick Tattersall

ISTAMBUL, 27 Mar (Reuters) - O primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, disse nesta quinta-feira que tinha sido uma "vilania" o vazamento de uma gravação de funcionários de segurança máxima discutindo uma possível ação militar na Síria, postada no site de compartilhamento de vídeos YouTube.

As autoridades turcas ordenaram o bloqueio do site no país.

O ministro das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, qualificou a postagem - um arquivo de áudio com fotografias dos funcionários envolvidos - de "declaração de guerra", uma aparente referência a uma crescente luta pelo poder entre Erdogan e rivais.

A postagem anônima se seguiu a outras publicações semelhantes nas mídias sociais nas últimas semanas, que Erdogan disse serem um complô de seus inimigos políticos, sobretudo um clérigo islamista que reside nos Estados Unidos, com a finalidade de derrubá-lo antes das eleições de 30 de março.

Mas a postagem no YouTube levou a campanha para um patamar mais elevado, ao vazar detalhes de uma reunião altamente sensível de autoridades do setor de segurança.

"Eles chegaram mesmo a vazar uma reunião de segurança nacional", disse Erdogan em um comício de campanha. "Isso é vilania, é desonestidade... A quem vocês estão servindo, fazendo espionagem do áudio de uma reunião tão importante?"

A Reuters não pôde verificar a autenticidade da gravação.

O material postado é apresentado como uma gravação do chefe de inteligência, Hakan Fidan, discutindo possíveis operações militares na Síria com Davutoglu, o vice-chefe do Estado-Maior militar Yasar Guler e outros altos funcionários.   Continuação...