CVM revoga suspensão e abre caminho para oferta de ações da Oi

terça-feira, 1 de abril de 2014 20:09 BRT
 

Por Joan Magee e Guillermo Parra-Bernal

NOVA YORK/SÃO PAULO (Reuters) - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) revogou nesta terça-feira a suspensão da oferta de ações da operadora de telecomunicações Oi, abrindo caminho para que a operação bilionária e essencial para a fusão com a Portugal Telecom seja lançada.

A suspensão havia sido determinada na quinta-feira passada após declarações à imprensa do presidente da empresa, Zeinal Bava, que infringiram o período de silêncio. A revogação vale partir da quarta-feira. A CVM informou que a decisão foi tomada após "saneamento de irregularidade que motivou a suspensão".

Mais cedo, fontes com conhecimento direto do assunto afirmaram à Reuters que a oferta avaliada em 6 bilhões de reais poderia ser lançada ainda nesta terça-feira, dependendo apenas da autorização do regulador. Antes da suspensão, a precificação da oferta estava prevista para 16 de abril.

Em comunicado, a Oi informou após o fim da suspensão que "retomará o curso da oferta", mas não deu detalhes.

"O resultado implícito é que poderemos lançar (a oferta) hoje a noite", disse um executivo de banco de investimento.

O aumento de capital está no centro da fusão da Oi com a Portugal Telecom. A eventual publicação dos termos da oferta nas próximas horas revela a urgência da Oi de concluir a operação antes que os bancos que endossaram a transação comecem a recuar.

Fontes do mercado disseram que Bradesco, Goldman Sachs e Itaú Unibanco consideram deixar a oferta.

Os bancos estão considerando retirar-se da oferta devido a demandas da CVM para que as instituições financeiras participantes subscrevam ações remanescentes caso não haja demanda de investidores, disse uma terceira fonte à Reuters, que pediu para não se identificar.   Continuação...