Robô da Nasa encerra missão com queda planejada na superfície da lua

sexta-feira, 18 de abril de 2014 14:45 BRT
 

CABO CANAVERAL, Estados Unidos, 18 Abr (Reuters) - Um robô espacial norte-americano terminou uma missão pioneira para mapear poeira e gases ao redor da lua com uma queda planejada na superfície lunar nesta sexta-feira, disseram autoridades da Nasa.

O Explorador Ambiental de Poeira e Atmosfera Lunar (LADEE, na sigla em inglês) voava em altitudes cada vez menores para estudar como a poeira se levanta da superfície lunar e que gases compreendem a chamada exosfera da lua, a região do espaço em torno da lua sem ar.

Funcionários da Nasa haviam planejado fazer a nave espacial cair na superfície da lua, depois de ter transmitido o seu lote final de dados.

Antes de cair, o LADEE viajava a 5.790 quilômetros por hora, três vezes mais rápido do que uma bala de rifle de alta potência, de modo que a nave espacial não só se partiu após o impacto, mas partes dela provavelmente vaporizaram.

"Não há nada suave em impactos a essas velocidades", disse o cientista-chefe Rick Elphic, do Centro de Pesquisa Ames, da Nasa, em Moffett Field, na Califórnia, em um comunicado.

Lançado em 6 de setembro de Wallops Island, na Virginia, o robô LADEE entrou em órbita ao redor da lua em outubro. Após uma verificação geral de instrumentos e ajustes na sua altitude, começou em novembro uma missão originalmente planejada de 100 dias.

A missão foi posteriormente prorrogada até 21 de abril, mas o LADEE ficou sem combustível e caiu em algum lugar do outro lado da lua na madrugada desta sexta-feira, segundo a Nasa.

Os controladores de voo vão tentar descobrir onde exatamente o robô caiu e usar o Orbitador de Reconhecimento Lunar da Nasa para fotografar o local. A informação será o último vestígio da missão sobre o ambiente do espaço lunar.

"Será interessante ver que tipo de impacto o LADEE provocou", disse Elphic.

Além de uma melhor compreensão da lua, os cientistas planejam usar os dados coletados sobre a exosfera lunar para fazer modelos de ambientes ao redor de outros corpos sem ar, incluindo o gelado planeta anão Plutão, que será visitado pela primeira vez por uma sonda da Nasa no ano que vem.