Oi precifica maior oferta subsequente do Brasil em quase 4 anos

terça-feira, 29 de abril de 2014 09:12 BRT
 

Por Guillermo Parra-Bernal e Joan Magee

SÃO PAULO/NOVA YORK (Reuters) - A operadora de telecomunicações Oi deu um importante passo na segunda-feira para a fusão com a parceira Portugal Telecom ao realizar a maior oferta subsequente de ações no Brasil em quase quatro anos, no piso da faixa sugerida.

A Oi levantou 8,25 bilhões de reais com a venda de ações ordinárias e preferenciais para investidores locais e estrangeiros, bem como um fundo liderado pelo BTG Pacutal, principal coordenador da oferta, segundo uma fonte com conhecimento direto da transação.

Incluindo troca de ativos com a Portugal Telecom, a operação de aumento de capital movimentou 13,95 bilhões de reais.

A quantia representa a maior oferta subsequente no mercado brasileiro desde que a Petrobras levantou 120 bilhões de reais em um aumento de capital em setembro de 2010, segundo dados da Thomson Reuters. A transação também foi a primeira venda de ações concluída no Brasil desde meados de dezembro.

A Oi seduziu fundos dos Estados Unidos e da Europa, que compraram 85 por cento dos 5 bilhões de reais em ações vendidos para acionistas minoritários, ao precificar as ações no menor nível sugerido. O preço para as ações preferenciais ficou em 2 reais, no piso da faixa de 2 a 2,30 reais. As ações ordinárias foram precificadas em 2,17 reais cada, em linha com o prêmio proposto de 8 por cento sobre as ações preferenciais.

Uma vez capitalizada, a Oi planeja usar seu balanço mais forte para formar a CorpCo, nome proposto para a companhia que será criada após a fusão com a Portugal Telecom.

Os recursos da operação ajudarão a Oi a reduzir dívida. A Oi recapitalizada formará a CorpCo, nome proposto para a companhia após a aliança com a Portugal Telecom.

Cada ação ordinária da Oi será trocada por uma ação da CorpCo e cada ação preferencial será trocada por 0,9211 papel da CorpCo.   Continuação...