Ouro na ginástica e vitórias de Phelps dão força aos EUA

sexta-feira, 15 de agosto de 2008 11:39 BRT
 

Por Sean Maguire

PEQUIM (Reuters) - Os Estados Unidos vingaram-se da China na ginástica artística, nesta sexta-feira, e conquistaram várias vitórias na piscina, conseguindo assim restaurar em parte a imagem dessa tradicional superpotência dos esportes.

Nastia Liukin liderou a dobradinha norte-americana na disputa individual geral da ginástica, deixando a China em terceiro lugar e negando ao país asiático a possibilidade de conquistar quatro ouros nas quatro disputas travadas até agora na modalidade.

"Meu pai é o motivo pelo qual me sagrei campeã olímpica hoje", disse Liukin, 18, depois de ter se tornado a primeira filha de campeão olímpico a ganhar uma medalha de ouro no mundo da ginástica. Seu pai e treinador, Valery Liukin, conquistou dois ouros para a União Soviética nos Jogos de Seul (1988).

No primeiro dia das provas de atletismo, realizadas no estádio Ninho de Pássaro, o recordista mundial dos 100 metros rasos, Usain Bolt, da Jamaica, passou às semifinais com facilidade.

Bolt passeou nas quartas-de-final com um tempo de 9s92, ficando à frente de seus maiores rivais, o atual campeão mundial, Tyson Gay, dos EUA, e o também jamaicano Asafa Powell.

O norte-americano Michael Phelps conquistou sua sexta medalha de ouro e seu sexto recorde mundial no Cubo d'Água, aproximando-se do recorde de Mark Spitz, que na Olimpíada de 1972 ficou com sete ouros.

O nadador de 23 anos de idade já possui 12 ouros em toda a sua carreira olímpica, três a mais do que qualquer outro atleta. Como ocorreu com Spitz em 1972, todas as vitórias dele nestes Jogos aconteceram junto com o estabelecimento de recordes mundiais.

BRIGA NO TOPO   Continuação...