October 23, 2007 / 2:05 AM / 10 years ago

Se vencer campeonato, Hamilton não prevê grande mudança de vida

4 Min, DE LEITURA

Por Alan Baldwin

XANGAI, China (Reuters) - O piloto Lewis Hamilton, da McLaren, dava sinais de tranquilidade na quinta-feira enquanto se preparava para o Grande Prêmio da China, no qual pode se transformar no piloto mais jovem a conquistar um título da Fórmula 1 e no primeiro a sagrar-se campeão no ano de estréia na categoria.

Questionado sobre se estava preparado para "tornar-se um verdadeiro superstar", o britânico de 22 anos de idade levantou dúvidas sobre se sua vida mudaria tanto assim.

"Não acho que isso fará uma grande diferença", disse aos repórteres, na pista de Xangai. "Eu conquistei campeonatos outras vezes. Obviamente, conquistar um título é uma sensação e tanto, mas a gente continua caminhando, vê o próximo título e tenta ganhar esse também."

"No ano que vem, estarei mais experiente. Vou conseguir analisar o ano, tentar ficar mais preparado e tentar me sair ainda melhor do que neste ano", afirmou Hamilton, que lidera o campeonato.

O piloto está 12 pontos à frente de seu colega de equipe, o bicampeão mundial Fernando Alonso, da Espanha. Além da corrida na China, ainda há O GP do Brasil antes do fim da temporada.

Enquanto Alonso reza por um milagre, Hamilton sai campeão de Xangai se vencer ou se ficar à frente do piloto espanhol e de Kimi Raikkonen, da Ferrari.

O britânico afirmou que os preparativos para a corrida deste fim de semana estavam sendo iguais aos das demais disputas.

Ainda Em Aberto

"Mais uma vez, trata-se de uma pista que não conheço. Então, para mim, vai ser muito parecido com Fuji", disse. "Aqui, estarei provavelmente em desvantagem porque não conheço o traçado da pista tão bem quanto os outros."

"Minha postura é exatamente a mesma, e meu objetivo é vencer. Não vejo por que deveria mudar de postura", afirmou.

Às vésperas do final da temporada, ninguém sabe dizer por quanto tempo mais Alonso e Hamilton continuarão sendo colegas de equipe.

O futuro do britânico na McLaren está assegurado, mas o espanhol, cuja relação com seus chefes deteriorou-se a ponto de hoje ser de frieza declarada, pode estar de saída.

"Agora não é o momento de falar sobre o próximo ano. Vou tentar vencer as duas corridas e, quando o campeonato estiver terminado, aí veremos", afirmou Alonso na quinta-feira quando questionado sobre um eventual regresso à Renault.

O piloto também se mostrou estranhamente reticente ao ser questionado sobre a possibilidade de a McLaren favorecer Hamilton por meio de alterações sutis na pressão dos pneus ou na regulagem dos aerofólios: "Essa é uma pergunta difícil. Não vou responder isso."

Hamilton, que colocou em dúvida a lealdade de Alonso à equipe e a noção dele de jogo limpo, afirmou, no entanto, não ter mágoas do espanhol. "Desejo tudo de bom para ele, independente de onde esteja. Se estiver conosco no próximo ano, então trabalharemos da melhor forma possível", disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below