China vê etapa decisiva no esquema de segurança

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 08:45 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O gigantesco esquema de segurança da China para a Olimpíada entrou num estágio decisivo, num momento em que o país enfrenta ameaças "extremamente amargas", disseram autoridades na quinta-feira, véspera da cerimônia de abertura dos Jogos.

Na segunda-feira, extremistas islâmicos mataram 16 policiais na turbulenta região de Xinjiang (oeste), onde muitos membros da etnia uigur (muçulmana) se ressentem do domínio dos han, etnia majoritária na China. O governo diz que o objetivo do atentado foi sabotar os Jogos.

Na quinta-feira, as autoridades da cidade de Kashgar sepultaram os 16 policiais, que receberam o título de "mártires revolucionários", segundo a agência estatal de notícias Xinhua. O mais jovem deles tinha 20 anos.

Autoridades participantes do funeral qualificaram o ataque como "uma provocação à nação e ao povo", prometendo o máximo para "punir severamente quaisquer terroristas violentos", de modo que "o sangue dos mártires não tenha sido derramado em vão", segundo a Xinhua.

"O trabalho da segurança olímpica entrou num estágio de batalha decisiva, e a situação na luta contra as forças hostis é extremamente amarga e complicada", disse uma autoridade não-identificada pela Xinhua.

"Devemos transformar a dor em força e sempre manter o moral elevado no nosso trabalho, que está centrado na segurança da Olimpíada", acrescentou esse funcionário.

Cerca de 100 mil policiais e soldados estão de prontidão para a cerimônia de sexta-feira em Pequim, e também no interior houve reforço da segurança.

Há anos a China considera que os militantes separatistas uigures são uma grande ameaça à Olimpíada.

Não obstante, o chefe de segurança do Bocog (comitê organizador local) disse na quinta-feira que o país tem plenas condições de garantir a segurança durante os Jogos, que vão até o dia 24.

(Reportagem de Guo Shipeng e Lindsay Beck)