Seleção brasileira de futebol não terá privilégios em Pequim

domingo, 2 de março de 2008 16:54 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A seleção de futebol brasileira na Olimpíada de Pequim vai se hospedar na vila dos atletas e viajar em vôos comerciais, declarou Ricardo Teixeira, presidente da CBF.

"Os jogadores vão receber o mesmo tratamento dos atletas de outros esportes", declarou Teixeira ao jornal 'O Globo' em entrevista publicada neste domingo.

"Tentei de outro jeito e não funcionou. Nos jogos de Atlanta em 1996, levamos o melhor time, a equipe ficou nos melhores hotéis, gastamos U$ 5 milhões e não vencemos."

"Agora, nosso plano tem a marca do Dunga", disse ele, referindo-se ao teimoso ex-meio-campista que atualmente treina a seleção e também o time olímpico.

"Se é uma seleção olímpica, vai ficar na vila olímpica e nos outros lugares determinados pelo comitê organizador, e vai viajar em vôos comerciais."

O Brasil, pentacampeão mundial, nunca venceu uma Olimpíada e vê a conquista como a única que faz falta em sua coleção de títulos.

As seleções sul-americanas levam a modalidade olímpica, que só permite jogadores de até 23 anos com uma tolerância de três jogadores acima dessa idade por time, muito a sério. Kaká já disse que quer ser um dos jogadores acima da idade a atuar em Pequim em agosto.

Sob o comando do ex-técnico Zagallo, a seleção brasileira se preparou durante um ano para os jogos de Atlanta e teve Rivaldo como um dos jogadores acima da idade no time, que foi eliminado pela Nigéria na semifinal.

Quatro anos mais tarde, Vanderlei Luxemburgo foi demitido da função de técnico da seleção e da equipe olímpica depois de perder para a República dos Camarões nas quartas-de-final dos Jogos Olímpicos de Sydney, na Austrália.

O Brasil não se classificou para Atenas em 2004, quando a Argentina derrotou o Paraguai na final sul-americana do evento e levou a medalha de ouro.

(Por Brian Homewood)