Nem neve reduz ritmo intenso da preparação olímpica de Pequim

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 10:14 BRST
 

Por Nick Mulvenney

PEQUIM (Reuters) - Uma frente fria levou neve nesta semana a Pequim, mas o inverno rigoroso não reduziu o ritmo acelerado dos preparativos para a Olimpíada de Pequim, que começa em pouco mais de 200 dias.

Um exército de operários vindos de outras partes da China continua transformando a cidade, enquanto as autoridades se preocupam com questões como segurança dos alimentos, direitos humanos e meio ambiente.

Tentando deixar para trás os escândalos de 2007, o governo declarou na segunda-feira que sua campanha de quatro meses para melhorar a segurança dos produtos, especialmente alimentícios, foi um sucesso total.

E, na terça-feira, a chancelaria reagiu às críticas dos EUA à prisão de um dissidente, alertando contra tentativas de "politizar" os Jogos.

"Nenhum país é impecável quando se trata de direitos humanos. Nenhum país tem qualificação para fazer comentários que ninguém solicitou a respeito da situação dos direitos humanos em outro", disse a porta-voz Jiang Yu. "O povo chinês sabe melhor sobre a situação dos direitos humanos na China."

Mas as críticas devem continuar, como ficou claro com a realização de uma conferência na Holanda em que o chanceler daquele pais ouviu relatos de grupos tibetanos e de representantes da proibida seita Falun Gong, entre outros.

Do ponto de vista ambiental, a notícia de que 400 mil novos carros chegaram às ruas de Pequim em 2006 mostra a dificuldade que as autoridades terão para garantir ar puro aos atletas e tráfego livre aos espectadores em agosto.

Outra preocupação ambiental ganhou destaque quando uma importante autoridade alertou que a China precisa acelerar as obras em um grande canal a partir da vizinha província de Hebei para garantir o abastecimento de água durante a Olimpíada.   Continuação...

 
<p>Policial observa a neve na pra&ccedil;a da Paz Celestial, em Pequim, na quinta-feira. Photo by Claro Cortes Iv</p>