China descumpre promessas de liberdade de imprensa, diz ONG

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 10:47 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China não está cumprindo a promessa de garantir a liberdade de imprensa para a Olimpíada de 2008, disse na quarta-feira a entidade Repórteres Sem Fronteiras.

Em se relatório anual, a ONG com sede em Paris afirma que há pelo menos 33 jornalistas e 51 "cyber-dissidentes" encarcerados na China, país que mais detém profissionais da imprensa em todo o mundo.

"Muitos observadores esperavam que mais tolerância fosse demonstrada à imprensa, junto com uma maior liberdade de expressão, conforme as autoridades haviam prometido", disse o relatório.

A China controla rigidamente a sua própria imprensa, mas havia prometido mais liberdade aos jornalistas estrangeiros que venham cobrir a Olimpíada. Em janeiro de 2007, o governo havia suspendido algumas regras que impediam os correspondentes de trabalharem fora das grandes cidades.

Mas o grupo disse que quase 180 jornalistas estrangeiros foram intimidados ou presos em 2007, segundo estatísticas do Clube de Correspondentes Estrangeiros da China.

O governo não fez promessas de maior liberdade aos jornalistas locais, e a entidade detalhou restrições cotidianas à imprensa chinesa.

"Todos na redação sabem que temos de esperar a matéria da agência oficial de notícias Xinhua quando há uma questão relacionada a líderes partidários, nomeações oficiais ou assuntos internacionais, como a Coréia do Norte", contou um jornalista do Beijing News ao relatório. "É arriscado demais publicar qualquer coisa antes (da chegada do despacho oficial)."

Na estatal Televisão Central da China, os jornalistas recebem alertas diários, ao ligar seus computadores, detalhando quais pautas devem ser evitadas ou tratadas com cautela, de acordo com o relatório.

Quando tenta cobrir assuntos delicados, a imprensa local pode sofrer violência física -- como no caso de cinco repórteres agredidos na Província de Hunan (centro) durante a apuração sobre a queda de uma ponte que matou dezenas de pessoas.   Continuação...