Fogos e tambores abrem Jogos de Pequim; ex-ginasta acende pira

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 09:44 BRT
 

Por Crispian Balmer

PEQUIM (Reuters) - A poderosa China abriu na sexta-feira a Olimpíada de Pequim com um espetáculo de tambores e fogos de artifício, numa cerimônia espetacular que celebra a história do país e visa a fazer o mundo esquecer os últimos meses de controvérsias políticas.

O ex-ginasta chinês Li Ning, que conquistou seis medalhas nos Jogos de Los Angeles-1984, vai acender a pira olímpica, segundo a agência de notícias oficial Xinhua.

Um Exército de 2.008 percussionistas marcou o ritmo da contagem regressiva para os Jogos, momento de glória para um país que em poucas décadas passou da pobreza e do isolamento para se tornar uma potência econômica. O evento, porém, também atrai críticas internacionais devido à situação dos direitos humanos no país.

Cerca de 80 líderes mundiais, inclusive o norte-americano George W. Bush e o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, estão entre os 91 mil espectadores da cerimônia no estádio Ninho de Pássaro. A audiência televisiva global deve superar 1 bilhão de pessoas.

Marcando o início da cerimônia, fogos espocaram junto às beiradas do estádio, luzes estroboscópicas piscaram, e uma floresta de baquetas luminosas dos percussionistas tingiu de vermelho a escuridão do estádio, envolto numa névoa úmida.

A cerimônia culmina sete anos de preparativos que deram nova forma a Pequim, e pretende ser um símbolo do desenvolvimento industrial do país.

"O momento histórico que tanto esperamos está chegando", disse o presidente Hu Jintao num almoço de boas-vindas a outros dignitários. "O mundo nunca precisou tanto de compreensão mútua, tolerância mútua e cooperação mútua tanto quanto hoje."

Mas a realização da Olimpíada também fez a China, país mais populoso do mundo, chamar a atenção por fatos como os distúrbios políticos no Tibete, que atraiu uma violenta repressão.   Continuação...

 
<p>Artistas desempenham coreografia com tambores na cerim&icirc;onia de abertura das Olimp&iacute;adas de Pequim. Photo by Dylan Martinez</p>