25 de Julho de 2008 / às 16:37 / em 9 anos

Brasil e EUA são favoritos no vôlei de praia dos Jogos Olímpicos

Por Jane Barrett

PEQUIM (Reuters) - Corpos bronzeados, luz forte e uma música estridente fizeram do voleibol de praia um dos esportes mais populares dos Jogos Olímpicos, e a disputa promete ser mais quente do que nunca em Pequim.

Os EUA e o Brasil, os países que dominam a modalidade, contam com as duplas mais fortes, ao passo que a China, como acontece no caso de tantos outros esportes, segue no encalço deles.

O vôlei de praia transformou-se em modalidade olímpica nos Jogos de Atlanta (1996), levando o glamour das areias ensolaradas da Califórnia e do Rio de Janeiro ao evento esportivo mais importante do mundo.

A decisão viu-se criticada por alguns, que a consideraram uma manobra para atrair público por meio da exposição do corpo de atletas musculosos que usam biquínis e camisetas regata. No entanto, a atmosfera eletrizante das partidas tornou-se uma marca das Olimpíadas.

E também fez nascer uma disputa entre os organizadores do evento para saber qual deles contaria com as instalações mais cinematográficas. Sydney levou a modalidade para as areias da praia Bondi.

A China tinha previsto, originalmente, realizar as partidas de 2008 na Praça da Paz Celestial, onde centenas de manifestantes foram mortos quando o governo enviou tanques para ali a fim de dispersar um protesto de estudantes, em 1989.

Os organizadores dos Jogos de Pequim mudaram de opinião e enviaram toneladas de areia de uma ilha do sul da China para um novo estádio construído em um parque de diversões.

As vencedoras da medalha de ouro em Atenas e tricampeãs mundiais, Misty May-Treanor e Kerri Walsh, dos EUA, não perderam nenhuma partida neste ano, em que disputaram um número relativamente pequeno de jogos.

As brasileiras Juliana e Larissa terão de se recuperar de lesões a fim de superar as duplas chinesas, que estão entre as cinco melhores dos Jogos --Tian Jia e Wang Jie, e Xue Chen e Zhang Xi.

O cenário parece promissor para os EUA também na disputa masculina. Os atuais campeões mundiais Todd Rogers e Phil Dalhausser encontram-se no auge de sua forma para a primeira participação deles em uma Olimpíada após terem vencido os três últimos torneios que disputaram.

Logo atrás deles, surgem as duplas brasileiras formadas por Ricardo e Emanuel, atuais campeões olímpicos e que tiveram um bom desempenho desde Atenas, e por Márcio Araújo e Fábio Luiz.

Os chineses também figuram com destaque entre os homens. Wu Peggen e Xu “Tiny” Linyin lideram o ranking de 2008 e ficaram em segundo lugar em cinco torneios disputados neste ano, sem no entanto terem conquistado nenhum título. “Tiny” tem 2 metros de altura.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below