Iraque proíbe desertores de jogarem pela seleção

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 18:46 BRST
 

BAGDÁ (Reuters) - Três jogadores que se recusaram a regressar ao Iraque depois de um jogo das eliminatórias pré-olímpicas em novembro na Austrália foram proibidos de voltar à seleção do país, informou na quinta-feira a Associação Iraquiana de Futebol (AIF).

Naji Humoud, vice-presidente da AIF, disse à Reuters que a entidade buscará também formas de impedir que Ali Mansur, Ali Khadher e o promissor meia Ali Abbas assinem contrato com clubes estrangeiros.

"A Associação Iraquiana de Futebol decidiu numa reunião de dois dias banir permanentemente três jogadores que pediram asilo na Austrália, por causa da sua recusa em regressar com o time e concluir seu dever jogando a partida final com o Líbano", disse ele.

Humoud afirmou que o auxiliar técnico Sadi Toma, que também sumiu do hotel após a derrota de 2 x 0 para a Austrália, ficará proibido para sempre de treinar a seleção iraquiana e por dois anos de trabalhar para clubes locais.

A não classificação para a Olimpíada de Pequim-2008 foi uma enorme frustração para os "Leões da Mesopotâmia", que por pouco não conquistaram a medalha de bronze em Atenas-2004. Em meados deste ano, a seleção nacional provocou um raro momento de euforia no Iraque ao vencer a Copa Asiática.

(Reportagem de Wisam Mohammed)