23 de Outubro de 2007 / às 11:02 / 10 anos atrás

Futuro de Alonso define várias vagas na F1 em 2008

<p>O mercado dos pilotos de F&oacute;rmula 1 est&aacute; &agrave; espera de Fernando Alonso (direita), pois v&aacute;rias equipes s&oacute; v&atilde;o anunciar sua forma&ccedil;&atilde;o para 2008 depois que o espanhol decidir se continua ou n&atilde;o na McLaren. Foto com Kimi Raikkonen em Interlagos, 21 de outubro.REUTERS Photo by Paulo Whitaker</p>

Por Alan Baldwin

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado dos pilotos de Fórmula 1 está à espera de Fernando Alonso, pois várias equipes só vão anunciar sua formação para 2008 depois que o espanhol decidir se continua ou não na McLaren.

O bicampeão mundial tem contrato com a equipe inglesa, mas se desentendeu com seus chefes e os acusa de terem favorecido seu companheiro Lewis Hamilton nesta temporada.

Uma parte considerável do paddock está convencida de que Alonso deixará a McLaren, que driblou o quanto pôde as perguntas sobre o futuro de seu piloto. “Isso será tratado ao longo das próximas duas semanas”, disse o chefe da equipe, Ron Dennis, após o GP de Interlagos, no domingo.

Alonso tem ligações com a Renault, onde conseguiu seus dois títulos, mas essa pode não ser sua primeira opção. “Neste momento eu diria não”, afirmou ele no domingo à rádio espanhola Cadena Ser.

Atualmente, a campeã Ferrari e a BMW Sauber são as alternativas mais competitivas à McLaren, mas ambos já confirmaram seus pilotos.

Entre os que têm vaga e verba, resta então a Toyota, que se despediu de Ralf Schumacher no Brasil. Mas a equipe não anda em grande fase.

A Renault deve abrir mão do italiano Giancarlo Fisichella, o que deixa o brasileiro Nelsinho Piquet bem cotado para fazer dupla com o finlandês Heikki Kovalainen caso Alonso não se interesse.

A Toyota tem o alemão Timo Glock, novo campeão da GP2 e ex-piloto de testes da BMW e de corridas da Jordan, como favorito para fazer dupla com o italiano Jarno Trulli.

O britânico Hamilton, vice-campeão em sua temporada de estréia, certamente fica na McLaren.

Um candidato óbvio para fazer dupla com ele seria Nico Rosberg, filho do campeão de 1982 Keke Rosberg, ex-McLaren. Mas a Williams está determinada a ficar com o jovem alemão.

“Não acho que [a saída de Rosberg] seria a morte da equipe, mas como força competitiva, até encontrarmos alguém que possa substituir Nico, certamente seria difícil”, afirmou Patrick Head, sócio da equipe, a jornalistas neste mês. “Então é algo que nem Frank [Williams, o outro sócio] nem eu estamos cogitando.”

Uma simples troca de lugares entre Kovalainen e Alonso é outra possibilidade citada pelas fontes dos paddocks, devido ao sucesso da McLaren com finlandeses nos últimos anos.

A Williams, com motor Toyota, perdeu o austríaco Alex Wurz, que se aposentou após o GP da China, penúltima etapa da temporada, e precisa de pelo menos um piloto experiente.

As opções são o japonês Kazuki Nakajima, apoiado pela Toyota, que fez uma boa estréia em Interlagos.

O italiano Vitantonio Liuzzi, liberado pela Toro Rosso para dar lugar ao francês Sebastien Bourdais, tetracampeão da ChampCar, seria outra possibilidade.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below