Morre na Islândia o gênio do xadrez Bobby Fischer

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 12:28 BRST
 

Por Kristin Arna Bragadottir

REYKJAVIK, Islândia (Reuters) - Bobby Fischer, o primeiro e único enxadrista campeão mundial dos EUA e considerado o "Mozart do Xadrez", morreu na Islândia aos 64 anos de idade.

Um porta-voz de Fischer, que foi tratado como heróis nacional ao derrotar o soviético Boris Spassky durante a Guerra Fria mas teve problemas com autoridades norte-americanas nos últimos anos confirmou a informação nesta sexta-feira. Não se conhece ainda a causa da morte.

Fischer, um ex-prodígio infantil que gostava de ver seus oponentes agonizarem e que adquiriu cidadania islandesa, tornou-se campeão mundial ao derrotar Spassky no auge da Guerra Fria, em Reykjavik, no ano de 1972.

Nos últimos anos, ele enfrentava a ameaça de ser detido em território norte-americano porque infringiu as sanções impostas contra a ex-Iugoslávia ao disputar uma partida naquele país contra Spassky.

O ex-campeão mundial Garry Kasparov descreveu Fisher como "o pioneiro e o pai do xadrez profissional", enquanto Spassky foi bem menos eloquente ao comentar a morte de seu ex-adversário. "Má sorte para vocês. Bobby Fisher está morto", disse ele à Reuters, antes de desligar o telefone sem mais nenhum comentário.

O brilhante mas excêntrico Bobby Fisher perdeu o título conquistado contra Spassky sem mover um peão, ao não cumprir o prazo limite para defendê-lo em Manila, em 1975.

Com relutância, os dirigentes mundiais da categoria entregaram o título ao desafiante Anatoly Karpov, da União Soviética. Karpov manteve-se na posição ao longo da década seguinte.

Fischer passou a viver ensimesmado, sem jogar em público e vivendo com pouco mais do que a magia existente em torno de seu nome. E isso apesar de milhões de fãs do xadrez considerarem-no então o rei do tabuleiro.   Continuação...

 
<p>O ex-campe&atilde;o mundial de xadrez Bobby Fischer (direita) em foto de arquivo da partida de 1992 contra o arquirival sovi&eacute;tico Boris Spassky. Photo by Ivan Milutinovic</p>