16 de Março de 2008 / às 13:34 / em 9 anos

Hamilton vence o GP da Austrália em meio ao caos

<p>Lewis Hamilton, da McLaren, conseguiu evitar o caos dos acidentes ao seu redor e abriu a temporada 2008 da F&oacute;rmula 1 com uma vit&oacute;ria retumbante no Grande Pr&ecirc;mio da Austr&aacute;lia deste domingo, liderando desde a largada at&eacute; a bandeirada final. Photo by Steve Holland</p>

Por Alan Baldwin

MELBOURNE, Austrália (Reuters) - Lewis Hamilton, da McLaren, conseguiu evitar o caos dos acidentes ao seu redor e abriu a temporada 2008 da Fórmula 1 com uma vitória retumbante no Grande Prêmio da Austrália deste domingo, liderando desde a largada até a bandeirada final.

O britânico de 23 anos, que soma cinco vitórias em 18 corridas, terminou 5s4 à frente do alemão Nick Heidfeld e sua BMW Sauber.

O alemão Nico Rosberg comemorou seu primeiro pódio na F1 cruzando em terceiro com sua Williams, em uma corrida na qual só sete dos 22 carros chegaram ao final -- e nenhuma Ferrari cruzou a linha de chegada.

"Estamos iniciando uma nova temporada, virando uma nova página, queríamos começar com o pé direito", disse Hamilton, que no ano passado perdeu o título para Kimi Raikkonen, da Ferrari, por um único ponto.

"É bem diferente da minha primeira vitória em Montreal (Canadá), simplesmente porque aquela não era esperada", acrescentou ele.

"Talvez esta vitória me cause uma sensação melhor que qualquer outra porque sinto ter melhorado em muitas áreas."

O safety car foi acionado três vezes por causa das várias colisões no circuito, que oferece poucas áreas de escape.

RAIKKONEN ABANDONA

Raikkonen abandonou a corrida a cinco voltas do final com problemas no motor. O finlandês derrapou na 31a volta, depois de ultrapassar o McLaren de Heikki Kovalainen e assumir a segunda colocação, e voltou atrás.

"Os resultados falam por si só. Infelizmente foi um final de semana horrível", declarou Stefano Domenicali, novo chefe de equipe da Ferrari.

Mas Raikkonen obteve um ponto de consolação, já que Rubens Barrichello, que cruzou em sexto com seu Honda, foi desclassificado por sair dos boxes com as luzes vermelhas ainda acesas. O brasileiro ainda mandou um mecânico para os ares ao acelerar antes da mangueira de combustível ter sido retirada.

Fernando Alonso, ex-companheiro de equipe de Hamilton na temporada passada -- na qual um escândalo de espionagem custou o título de construtores à McLaren --, chegou em quarto em sua reestréia na Renault, equipe com a qual conquistou seus dois títulos mundiais.

Quinto colocado, Kovalainen viu suas esperanças de obter uma dobradinha no pódio para a McLaren em sua estréia serem frustradas por um pitstop no final, mas fez a volta mais rápida da corrida. Ele poderia ter chegado em quarto lugar se não tivesse apertado por engano o botão de limite de velocidade do pitstop ao remover o protetor de seu visor logo depois de ultrapassar Alonso.

O japonês Kazuki Nakajima obteve a sexta colocação para a Williams, apesar de ter se enroscado com o Red Bull de Mark Webber no início e novamente com o Sauber do polonês Robert Kubica a nove voltas do final.

O novato recebeu uma punição de dez posições no grid de largada do GP da Malásia, no próximo final de semana.

Sebastien Bourdais, tetracampeão da Champ Car e o primeiro francês a estrear na F1 desde 2004, se juntou à elite de pilotos a marcar pontos logo na estréia ao chegar em sétimo, apesar do motor de seu Toro Rosso ter estourado a duas voltas da bandeirada.

Um acidente sério logo na primeira curva da volta de abertura trouxe o safety car à pista e causou a desistência de cinco pilotos, incluindo Webber, o único australiano na prova.

O brasileiro Felipe Massa, que largou na quarta posição, teve que ir aos boxes trocar o bico do carro depois de bater em um muro.

O safety car foi acionado uma segunda vez pouco antes da metade da corrida, quando Massa e David Coulthard colidiram ao final da reta principal.

O escocês e piloto da Red Bull, que sofreu um acidente grave neste mesmo circuito no ano passado, quando seu carro voou por cima do Williams do austríaco Alex Wurz, saiu voando novamente e culpou o piloto da Ferrari.

O alemão Timo Glock causou a terceira e última entrada do safety car na 44a volta, quando seu Toyota bateu no meio-fio e voou antes de atingir a barreira de proteção.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below