Está tudo pronto para a mais cara cerimônia olímpica da história

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 20:19 BRT
 

Por Andrew Cawthorne

PEQUIM (Reuters) - A China realiza na sexta-feira a mais cara cerimônia de abertura olímpica da história, em uma tentativa de chamar a atenção para sua modernidade, após meses de incidentes políticos envolvendo o governo comunista nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Pequim.

Entre os espectadores da cerimônia no estádio olímpico apelidado de Ninho de Pássaro estará o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que chega a Pequim um dia depois de fazer o seu mais duro discurso contra a situação dos direitos humanos na China.

Muitos apostam que a China vá disputar com os EUA a hegemonia global neste século, a começar pelo quadro de medalhas nestes Jogos.

A China espera que a cobertura negativa da imprensa a respeito de questões como a repressão no Tibete acabe às oito horas da noite do 8o dia do oitavo mês -- uma combinação associada à fortuna (no horário de Brasília, 9h de sexta-feira). A audiência global prevista para a festa é de 1 bilhão de pessoas.

Ostentando seu recém-adquirido poderio econômico, a China investiu 43 bilhões de dólares na Olimpíada. Foram 100 milhões só para as cerimônias de abertura e encerramento, o dobro do gasto em Atenas 2004.

Pequenos grupos de estrangeiros tentaram promover manifestações nesta semana em Pequim, mas foram rapidamente dispersados pela polícia -- parte de um esquema de segurança com 100 mil soldados e agentes.

Na segunda-feira, um ataque atribuído a separatistas islâmicos matou 16 policiais no oeste da China, e na quinta-feira duas empresas dos EUA que monitoram declarações de militantes disseram que um grupo muçulmano pouco conhecido ameaça cometer ataques durante os Jogos.

Um vídeo datado de 1o de agosto traz imagens do logotipo dos Jogos de Pequim em chamas e de um orador mascarado e portando um rifle AK-47, segundo a empresa Site Intelligence Group.   Continuação...