19 de Junho de 2008 / às 00:42 / 9 anos atrás

Raikkonen diz estar mais sedento do que nunca por vitória

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - O atual campeão mundial da Fórmula 1, Kimi Raikkonen, piloto da Ferrari, volta à França neste fim de semana mais sedento do que nunca por uma vitória depois de duas corridas sem marcar pontos.

Magny-Cours significou o momento da virada para o finlandês na temporada passada e Raikkonen precisa de outra vitória no Grande Prêmio da França, no domingo, após cair para a quarta colocação no campeonato de pilotos, a sete pontos do novo líder do campeonato, o polonês Robert Kubica, da BMW-Sauber.

"Não me lembro de ter tido tanta gana de vencer", afirmou Raikkonen no site da Ferrari (www.ferrariworld.com).

"As duas últimas corridas foram uma decepção provocada por problemas diferentes", acrescentou o piloto, que foi tirado do Grande Prêmio do Canadá, a etapa anterior, pelo rival Lewis Hamilton, em uma batida no pit lane.

Antes disso, o finlandês havia ele próprio colidido na traseira do Force India de Adrian Sutil, nas últimas voltas do Grande Prêmio de Mônaco, quando ocupava a quinta colocação.

"Acho que o cenário será bastante diferente em Magny-Cours quando comparado aos últimos GPs", afirmou Raikkonen, que venceu na França, no ano passado.

O piloto estava 26 pontos atrás de Hamilton, da McLaren, quando chegou a Magny-Cours, na temporada passada, e não conseguia subir ao pódio havia quatro corridas.

Àquela vitória seguiu-se outra na Grã-Bretanha. E, no final do ano, Raikkonen conseguiu derrotar o então estreante britânico com apenas um ponto de vantagem.

PISTA PERFEITA

"Foi aqui, na França, no ano passado, que minha temporada começou de novo, praticamente. E é disso que eu preciso, já que não marco pontos há duas corridas", disse o piloto da Ferrari.

"Eu gosto dessa pista e acho que ela é perfeita para o nosso carro", acrescentou Raikkonen, 28. "Acho que seremos competitivos e podemos tentar obter o melhor resultado possível."

O maior rival do finlandês deve ser seu companheiro de equipe, o brasileiro Felipe Massa, que largou na pole position na França, no ano passado, e encontra-se atualmente três pontos à frente de Raikkonen na classificação geral, empatado com Hamilton.

Kubica, o primeiro polonês a vencer um Grande Prêmio de Fórmula 1 bem como o primeiro piloto da BMW-Sauber a fazer isso, não cederá facilmente sua liderança e também deve lutar pelo pódio.

"Ninguém que esteja entre os primeiros na corrida de pilotos depois de sete provas está ali por acidente", disse o chefe da equipe, Mario Theissen, que comemorou uma inesperada dobradinha da equipe em Montreal.

"Com certeza, não vamos tirar o pé do acelerador neste momento. Ao contrário, vamos pisar fundo."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below