China quer 'segurança absoluta' no Tibete durante Olimpíada

quarta-feira, 30 de julho de 2008 15:56 BRT
 

Por Chris Buckley

PEQUIM (Reuters) - Os policiais chineses responsáveis pela guarda do Tibete foram mobilizados de forma a garantir um ambiente de "segurança absoluta" na região durante os Jogos Olímpicos e tentam agora obter maior apoio internacional, afirmou nesta quarta-feira um jornal oficial.

A China diz que seguidores do Dalai Lama, líder espiritual do Tibete atualmente exilado, alimentou os distúrbios e protestos ocorridos em toda a região montanhosa em março, em meio a esforços para prejudicar a Olimpíada, que devem começar no dia 8 de agosto.

O Dalai Lama rebateu as acusações, mas, desde aquela onda de instabilidade, as forças de segurança presentes no Tibete e nas Províncias vizinhas realizaram várias operações para acabar com eventuais focos de resistência ao domínio chinês.

O jornal Tibet Daily anunciou a adoção de esquemas de segurança ainda mais rígidos durante os Jogos, período no qual qualquer demonstração feita por grupos pró-independência do Tibete deixaria o governo chinês em maus lençóis diante da comunidade internacional.

A fim de garantir um ambiente de "segurança absoluta sem falha nenhuma" a polícia duplicará o número de guardas estacionados em prédios grandes, reforçará os esquemas de controle da fronteira e tentará ampliar os esforços internacionais para minar os ativistas anti-China, disse uma reportagem divulgada pelo site oficial www.chinatibetnews.com.

O texto sugeriu que a China tentaria obter a cooperação de outros países, com destaque para os localizados perto do Tibete.

Eles tentarão "intensificar e melhorar as formas de cooperação no policiamento internacional e ampliar a região e o âmbito da cooperação policial, esmagando de uma vez por todas as atividades separatistas do grupo do Dalai Lama", disse a reportagem.

A China vem pressionando a Índia e o Nepal, onde moram muitos milhares de tibetanos exilados, a intensificar o combate aos grupos que defendem a independência do Tibete.   Continuação...