10 de Julho de 2008 / às 13:36 / em 9 anos

China diz ter detido 5 grupos "terroristas" antes da Olimpíada

Por Ian Ransom

PEQUIM (Reuters) - A China disse na quinta-feira que frustrou os planos de cinco “grupos terroristas” que tramavam atentados contra a Olimpíada de Pequim, que começa em menos de um mês.

No primeiro semestre deste ano, a polícia deteve 82 pessoas na turbulenta região islâmica de Xinjiang (oeste), sob a acusação de planejar sabotagens contra os Jogos, disse o chefe local de polícia, Chen Zhuangwei, à agência estatal de notícias Xinhua.

“A polícia da capital regional também deteve 66 membros de gangues das ‘três forças do mal’ de terrorismo, separatismo e extremismo, e destruiu 41 bases de treinamento da ‘guerra santa’ entre janeiro e junho”, disse Chen à Xinhua, que não esclareceu se os 66 “membros de gangue” fazem parte do grupo total de 82 detidos na região.

Pequim acusa militantes da etnia islâmica uigur de agirem em conjunto com a Al Qaeda para criarem um país independente chamado Turquestão Oriental.

Na quarta-feira, a Xinhua informou que a polícia matou a tiros cinco pessoas que estariam tentando iniciar uma “guerra santa” contra a etnia Han, que é majoritária na China.

Em abril, autoridades disseram ter desbaratado complôs para sequestrar atletas e realizar atentados suicidas durante os Jogos de agosto. Antes, a China já havia denunciado um suposto plano de separatistas para derrubar um avião com destino a Pequim.

Muitos uigures se queixam da migração de chineses da etnia Han para sua região e do controle do governo sobre a religião e a cultura de Xinjiang.

Mas grupos uigures negam que haja separatistas tramando ataques e acusam a China de aproveitar a necessidade de segurança olímpica para reprimir ativistas.

“O que a China afirma simplesmente não é verdade”, disse Dilxat Raxit, porta-voz do Congresso Mundial Uigur, que atua no exílio. “Querer boicotar os Jogos não é a mesma coisa que prejudicá-los”, acrescentou.

A chancelaria chinesa insistiu na quinta-feira que há uma ameaça em Xinjiang, uma região rica em recursos, fronteiriça com a Ásia Central.

“Fatos e evidências demonstraram plenamente que existem organizações terroristas na região de Xinjiang que são contra a China e destinadas a dividir a China”, disse o porta-voz Liu Jianchao.

Chen disse que a polícia também “reprimiu” 16 casos envolvendo o proscrito grupo espiritual Falun Gong, prendendo 25 suspeitos e destruindo sete oficinas clandestinas onde havia “material reacionário de propaganda.”

Na segunda-feira, o chefe da segurança olímpica afirmou que “grupos terroristas” domésticos, inclusive uigures, tibetanos e seguidores da Falun Gong, representavam a maior ameaça aos Jogos, que começam no próximo dia 8.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below