9 de Agosto de 2008 / às 07:09 / em 9 anos

Ginastas chinesas sentem a pressão em casa

Por Sonia Oxley

PEQUIM (Reuters) - A ginasta chinesa Cheng Fei tem ficado tão nervosa que mal consegue respirar, mas garantiu que deixará a tensão de lado no domingo, quando as anfitriãs olímpicas iniciam a tarefa de se vingar dos Estados Unidos por terem sido destronadas como campeãs mundiais.

A classificação para as finais de equipe, aparelhos e individual geral acontece no domingo no Estádio Nacional, com previsão de domínio da campeã mundial Shawn Johnson (EUA), sua companheira de equipe Nastia Liukin e a tricampeã mundial no salto sobre cavalo Cheng.

Além de colocar a China no caminho para o primeiro ouro olímpico da equipe feminina, Cheng quer ainda alcançar as finais do salto e do solo. A pressão tem chegado até ela.

“Tantas pessoas esperam que a gente consiga medalhas de ouro e é realmente uma grande pressão para nós”, afirmou Cheng a jornalistas.

“Às vezes sinto dificuldade em respirar ou mesmo choro sob a pressão, mas uma vez que a competição começa, não pensarei em nada e apenas tentarei o meu melhor”, acrescentou.

Os Estados Unidos e a China pareciam estar um nível acima dos demais competidores durante os treinos em Pequim esta semana, e a atual campeã olímpica, Romênia, deve estar sentido que seu título já está ameaçado.

A Rússia, outrora dominante, é uma sombra de si mesmo mas vai querer pelo menos levar sua equipe à final, e deve ter a campeã mundial e européia Ksenia Semenova na final das barras assimétricas.

A China pode ter alguns truques novos em comparação ao Campeonato Mundial de 2007, incluindo a novata He Kexin, cujas rotinas nas barras assimétricas lhe garantiram pontuações altas este ano.

Ela foi uma das citadas em reportagens que apontaram registros online revelando ginastas abaixo da idade mínima de 16 anos de idade competindo pela China. Representantes chineses negaram as acusações, que foram bastante comentadas às vésperas dos Jogos.

A Federação Internacional de Ginástica divulgou um comunicado, no sábado, afirmando que controla firmemente a inscrição para as competições e que o Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou que todos os passaportes usados no credenciamento eram válidos.

Outra que ganhou muita atenção devido à sua idade é a alemã Oxana Chusovitina, que competirá em sua quinta Olimpíada e representando seu terceiro país. A atleta, de 33 anos, pretende chegar à final do salto sobre cavalo, onde tem boa chance de medalha.

“Eu tenho mais força do que no passado”, afirmou a ginasta nascida no Uzbequistão, acrescentando que ainda se sente como suas rivais adolescentes. “Não me sinto diferente delas.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below