Ar melhora em Pequim; Anistia aponta violação de promessas

terça-feira, 29 de julho de 2008 09:23 BRT
 

Por Ben Blanchard

PEQUIM (Reuters) - A névoa que durante dias cobriu Pequim se dispersou graças à chuva na terça-feira, a dez dias para o início da Olimpíada, mas no mesmo dia uma outra nuvem, simbólica, se formou sobre o governo, na forma de um incisivo relatório da Anistia Internacional a respeito dos direitos humanos na China.

A crônica poluição atmosférica de Pequim -- resultado da poeira de obras, de resíduos industriais e da fumaça de veículos -- é uma das maiores preocupações dos organizadores, que adotaram medidas especiais para melhorar a qualidade do ar.

Já está em vigor um rodízio que proíbe metade dos 3,3 milhões de veículos da cidade de circularem a cada dia, além de uma desativação temporária de muitas fábricas nos arredores da cidade. As autoridades não descartam outras medidas, ainda não definidas.

Du Shaozhong, vice-diretor do Escritório de Proteção Ambiental de Pequim, disse que a névoa, embora reduza a visibilidade, não é sinônimo de poluição.

"Não aprovamos o uso de fotos para uma avaliação da qualidade do ar. É preciso olhar o sistema completo de monitoramento e olhar os dados cientificamente", disse Du a jornalistas.

"Nuvem e neblina não são poluição. Este tipo de clima é um fenômeno natural, e nada tem a ver com a poluição", insistiu.

Ele negou rumores, divulgados no estatal Diário da China, de que até 90 por cento dos veículos poderiam ser tirados de circulação a cada dia.

Ainda há relativamente poucos atletas em Pequim, a maioria se preparando para provas em recintos fechados ou que não exijam resistência -- ou seja, eventos em que a poluição seria menos nociva.   Continuação...