16 de Agosto de 2008 / às 05:34 / em 9 anos

Determinado, Phelps redefine a natação

<p>O norte-americano Michael Phelps se apronta para nadar os 100 metros borboleta, em Pequim. Photo by Wolfgang Rattay</p>

Por Crispian Balmer

PEQUIM (Reuters) - Michael Phelps cresceu olhando para o fundo de uma piscina. Dia após dia, ano após ano ele treinou em seu clube, construindo sua força, aperfeiçoando sua técnica e alimentando sua ambição de redefinir as barreiras de seu esporte.

Neste sábado, todo o trabalho árduo foi compensado quando ele conquistou sua sétima medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim, igualando o recorde de Mark Spitz ao ganhar sete ouros numa mesma edição dos Jogos e garantindo a si mesmo um lugar no panteão dos grandes do esporte de todos os tempos.

“Ele pode ser humano, mas ele vem de um outro planeta”, declarou o nadador russo Alexander Sukhorukov, no início da semana, depois que Phelps, de 23 anos, chegara mais perto de deixar sua marca.

“De uma galáxia diferente”, acrescentou o russo.

Bob Bowman, técnico de Phelps, notou seu potencial quando ele tinha 11 anos de idade, dizendo a seus pais que ele tinha um futuro dourado pelo frente tão longo quanto fosse sua total dedicação à natação.

Phelps abraçou o sonho e sacrificou qualquer pretensão de uma vida normal em busca de sua glória.

Sair para jogar boliche com os amigos estava fora de cogitação, para prevenir qualquer tipo de contusão, festas até altas horas da noite eram proibidas e possíveis namoradas eram deixadas de lado para sobrar mais tempo para os treinos.

Contudo, Phelps não tem nenhum arrependimento, pelo contrário, revela que suas proezas não apenas o transformaram em milionário, mas também trouxeram mais visibilidade para um esporte que luta com dificuldade pela atenção dos americanos atrás dos favoritos basquete e beisebol.

“Quero mudar a natação. Eu quero que as pessoas falem sobre ela, pensem nela e fiquem ansiosas para poder assistir a uma prova,” comentou ele uma vez com seu agente.

ULTRAPASSANDO OBSTÁCULOS

Famoso por seu foco feroz e por seu espírito competitivo e voraz, Phelps é um obsessivo, que estabelece para si mesmo metas quase impossíveis e depois parece excedê-las.

Qualquer um que tenha conhecido Phelps quando criança, em sua cidade-natal, Baltimore, deve estar balançando a cabeça em total descrença.

Em sua primeira aula de natação, ele gritava com toda sua força, aterrorizado por ter de colocar o rosto na água. Na escola, ele teve de ser medicado para superar um déficit de atenção e, em casa, lutava para lidar com a separação dos pais.

A natação veio para resgatá-lo, dando a ele a estrutura para seu dia e permitindo que ele tivesse sucesso pelo menos em uma área de sua vida.

Bowman se tornou seu técnico quando ele tinha 11 anos e levou o nadador ao topo do esporte, assumindo a figura paterna ao longo do caminho, ensinando-o a dirigir e como dar um nó na gravata para seu primeiro baile na escola.

“Fui capaz de realizar meus sonhos e atingir minhas metas. Sempre quis ser um medalhista de ouro olímpico, um atleta profissional, um recordista mundial, e Bob me levou a conseguir tudo isso,” declarou um agradecido Phelps.

As realizações logo começaram a acontecer.

Aos 15 anos, ele tornou-se o mais novo detentor de um recorde mundial e também o mais jovem nadador em 68 anos a se classificar para o time olímpico americano de natação -- chegando em quinto numa prova na Olimpíada de Sydney 2000.

Ele agora detém 25 recordes mundiais individuais contra 26 de Spitz e possui 13 ouros olímpicos, quatro a mais do que qualquer atleta.

ROMANCE

Extraordinário na água, Phelps é um garoto comum fora da piscina.

Ele não esconde seu amor por sua mãe, Debbie, que o acompanha em todas as competições. Ele ama música hip-hop, videogames e assiste a muitos DVDs enquanto relaxa entre uma prova e outra.

Ele tem um apetite enorme, devorando quantidades industriais de comida para se abastecer e conseguir suas proezas, e gosta da companhia de amigos, procurando por camaradagem após a solidão nas raias.

Ele esteve envolvido romanticamente com poucas mulheres, mas nunca teve uma seqüência de namoradas glamurosas, como muitos esportistas famosos e, se ele está saindo com alguém atualmente, está mantendo o segredo a sete chaves.

Ele leva sua condição de modelo para os outros extremamente a sério e se meteu em encrenca apenas uma vez, sendo preso por dirigir alcoolizado poucos meses depois dos Jogos de Atenas, fato pelo qual ele se desculpou efusivamente.

Aos 23 anos, ele está, provavelmente, próximo ao seu auge físico e está certamente muito mais musculoso e com uma figura mais forte do que em 2004. Ninguém sugeriu que ele esteja considerando se aposentar após os Jogos de Pequim e seria difícil imaginá-lo abandonando as piscinas.

Talvez, seu maior problema seja encontrar um rival à altura que desperte sua competitividade e o estimule a alcançar novos patamares.

Reportagem adicional de Derek Parr e Steve Keating

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below