31 de Janeiro de 2008 / às 21:33 / em 10 anos

Nelsinho Piquet quer fazer o seu próprio nome na Fórmula 1

<p>Agora que j&aacute; &eacute; piloto de F&oacute;rmula 1, Nelsinho Piquet est&aacute; &aacute;vido em provar que n&atilde;o precisa viver &agrave; sombra do pai, o tricampe&atilde;o de quem herdou o nome. Foto de Nelsinho com novo Renault F1 R28, em Paris, 31 de janeiro. Photo by Charles Platiau</p>

Por Alan Baldwin

PARIS (Reuters) - Agora que já é piloto de Fórmula 1, Nelsinho Piquet está ávido em provar que não precisa viver à sombra do pai, o tricampeão de quem herdou o nome.

"Estou crescido agora", disse o brasileiro, de 22 anos, no lançamento do novo carro da sua equipe, o Renault R28, na quinta-feira.

O novo colega do bicampeão Fernando Alonso não se incomoda em ser chamado de "Nelsinho", mas quer deixar claro que é um outro Piquet.

A exemplo do piloto Nico Rosberg, da Williams (filho de Keke Rosberg, campeão em 1982), Nelsinho cresceu acostumado a perguntas e comparações em relação ao pai. O sobrenome famoso, porém, não só lhe abriu portas.

"Toda a minha carreira eu sempre tive de me forçar um pouco mais, mostrar que eu não estava lá por causa do nome do meu pai ou de algo assim", disse ele a jornalistas.

"Então isso foi bom. Havia mais motivação para eu ganhar mais corridas, ganhar campeonatos e fazer o meu trabalho. Acho que na Fórmula 1 é uma história diferente. O nome não faz qualquer diferença agora."

Piloto de testes da Renault no ano passado, vice-campeão da categoria de acesso GP2 em 2006 (atrás de Lewis Hamilton, hoje na McLaren), Nelsinho Piquet ainda tem muito a aprender.

Seu pai, campeão pela Brabham em 1981 e 83 e pela Williams em 87, bancou os primeiros estágios da carreira do filho, mas afastou-se quando o rapaz chegava ao topo.

"Ele me ajudou muito na Fórmula 3, mas depois disso, na GP2, ele já estava longe. A maior ajuda que ele me deu foi em administrar, organizar minha vida. Ele me deu algumas dicas sobre impostos e coisas assim."

Vários pilotos, como Hamilton, costumam levar a família consigo, mas Nelsinho quer ser diferente. "Prefiro manter mais distância e simplesmente pilotar. O circuito é o nosso escritório, e ninguém leva os pais para o escritório", disse ele.

Para esta temporada, ele diz que seu principal objetivo é aprender com o mestre Alonso e acumular o máximo de pontos que for possível.

"Nunca tive um colega de equipe adequado em minha carreira, ninguém com quem eu pudesse me comparar para melhorar. Sei que tenho muito a aprender com Fernando, ele é o padrão de comparação perfeito", afirmou.

O chefe da equipe Renault, Flavio Briatore, disse que o brasileiro tinha tudo o que ele procurava: "Ele é muito esperto, muito inteligente. Ele é o futuro para nós também, tem 22 anos e é muito jovem -- e numa posição fantástica para aprender com Fernando. Além disso, ele é rápido, pode ganhar corridas."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below