Brasil falha em casa contra inventores do vôlei: EUA 3 sets a 0

sábado, 26 de julho de 2008 11:53 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os reis do vôlei sucumbiram diante dos criadores do esporte. Depois de conquistar os últimos cinco títulos da Liga Mundial, a seleção masculina do Brasil perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 0 (25-23, 25-22 e 27-25) na semifinal deste sábado, no Maracanãzinho.

Com a derrota, o Brasil perdeu a chance de igualar-se à Itália como maior vencedor da competição, com oito conquistas. Na última vez que a fase decisiva da Liga foi realizada no Brasil, em 2002, a equipe do técnico Bernardinho também não conseguiu o título: perdeu na final para a Rússia.

Mesmo durante a hegemonia brasileira no esporte durante os últimos anos, os Estados Unidos têm sido uma pedra no sapato do Brasil constantemente, a ponto de Bernardinho ter afirmado antes da semifinal deste sábado que eles são a equipe que mais conhecem o jogo do Brasil, "talvez mais do que nós mesmos".

Na caminhada rumo ao ouro olímpico nos Jogos de Atenas, em 2004, o Brasil perdeu na primeira fase para os EUA por 3 sets a 1. Em 2005, disputando a Copa América em casa, na cidade gaúcha de São Leopoldo, a seleção também foi derrotada pelos norte-americanos, por 3 sets a 2, na decisão. Outra derrota aconteceu no ano passado, na primeira fase da Copa do Mundo.

Logo no início da partida no Maracanãzinho, o Brasil deu de cara com a maior resistência enfrentada até então na fase final da competição. Os três primeiros ataque da equipe, dois de Giba e um André Nascimento foram parados pela defesa norte-americana. Mas o Brasil compensou com um bloqueiro eficiente. Dos primeiros 5 pontos da equipe, 3 foram conquistados nesse fundamento.

Os EUA se beneficiaram do alto número de erros do Brasil, especialmente no saque, para manter o marcador equilibrado até 22-22. Depois, eles fechararam a parcial em 25-23, num ataque certeiro do experiente Priddy. Foram 11 erros brasileiros contra apenas 4 dos EUA no primeiro set.

Na segunda parcial, apesar de um ace de Dante logo no primeiro saque, os Estados Unidos continuaram muito bem na defesa e, aproveitando os contra-ataques, abriram vantagem de 14-10. Bernardinho ainda mexeu na equipe, promovendo as entradas de Bruno, Rodrigão e Samuel, mas o líbero norte-americano Lambourne e o levantador Ball foram decisivos para fechar em 25-22, dando enorme vantagem de 2 sets a 0 aos visitantes. Empurrada pela torcida, a seleção brasileira ameaçou reagir no terceiro set e largou na frente no marcador. Mas a equipe permitiu que os EUA encostassem, até que eles passassem à frente em 15-14. Com dois pontos seguidos de saque, os EUA aumentaram para 18-14. O Brasil ainda conseguiu empatar a partida no final, mas um ataque para fora de Anderson calou o Maracanãzinho: EUA 27-25.

Na decisão da medalha de bronze, no domingo, o Brasil enfrentará o perdedor da semifinal entre Sérvia e Rússia, que jogam ainda neste sábado. O vencedor pega os Estados Unidos na disputa pelo título da Liga Mundial 2008.

Na fase final da Liga, o Brasil enfrentou adversários dos Jogos Olímpicos de Pequim, que começam em duas semanas. Sérvia e Polônia estão no grupo do Brasil na Olimpíada, assim como a Rússia, que a seleção venceu na estréia no Rio. EUA e Japão estão na outra chave olímpica.

Equipes favoritas ao pódio olímpico, como Itália e Bulgária, não aceitarem convite para jogar a fase final no Rio a fim de evitar a desgastante viagem a poucos dias da Olimpíada, o que levou o técnico Bernardinho a criticar a Federação Internacional de Vôlei por permitir as ausências. Mesmo o Japão, que foi chamado as pressas para ocupar um buraco, trouxe uma equipe reserva.

 
<p>Brasil falha em casa contra inventores do v&ocirc;lei: EUA 3 sets a 0. Os reis do v&ocirc;lei sucumbiram diante dos criadores do esporte. Depois de conquistar os &uacute;ltimos cinco t&iacute;tulos da Liga Mundial, a sele&ccedil;&atilde;o masculina do Brasil perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 0 na semifinal no Maracan&atilde;zinho. 26 de julho. Photo by Bruno Domingos</p>