Alonso ainda pode rir por último em São Paulo

sexta-feira, 19 de outubro de 2007 09:59 BRST
 

Por Alan Baldwin

SÃO PAULO (Reuters) - Fernando Alonso ainda pode rir por último na McLaren caso conquiste no domingo em Interlagos o Mundial de Fórmula 1 pelo terceiro ano consecutivo.

Chamar de "turbulenta" a temporada do espanhol é pouco. Trazido da Renault para salvar a McLaren depois do fiasco do ano passado com os motores Mercedes, Alonso acabou se vendo num papel diferente.

O estreante britânico Lewis Hamilton, de 22 anos, deixou claro logo no início do ano que não gostaria de ser coadjuvante. Agora, chega à última prova com quatro pontos de vantagem sobre o espanhol.

Alonso não recebeu na equipe o tratamento especial que achava ter direito como bicampeão, e viu sua relação com Hamilton e com o chefe da equipe, Ron Dennis, se deteriorar a ponto de não se falarem mais.

Dennis diz que seu piloto é "notavelmente recluso" e que a relação é "muito fria." Alonso, por sua vez, acusa a McLaren de favorecer Hamilton.

Muitos nos paddocks apostam que o espanhol deixará a equipe ao final do ano, apesar de ter contrato para 2008, e a Renault já deixou claro que gostaria de tê-lo de volta.

Alonso pode se sentir desconfortável na McLaren, mas sua capacidade ao volante é incontestável. Se levar o Mundial no domingo, será o primeiro a ganhar títulos sucessivos com equipes diferentes desde o argentino Juan Manuel Fangio em 1957.

Interlagos só traz boas lembranças ao asturiano, já que aqui Alonso foi campeão com a Renault em 2005 e 06.   Continuação...

 
<p>O piloto espanhol da McLaren Fernando Alonso caminha no circuito de Interlagos, em S&atilde;o Paulo, na quinta-feira. Photo by Sergio Moraes</p>