China cancela cobertura jornalística da tocha no Everest

terça-feira, 22 de abril de 2008 10:29 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China cancelou o acesso da imprensa à saída da tocha olímpica do Acampamento-Base Norte do Everest, quando haverá a tentativa de levar a chama até o ponto culminante do planeta, no começo de maio.

A imprensa estrangeira credenciada para o evento foi informada na terça-feira, véspera do embarque, que a viagem seria adiada para sábado e parcialmente cancelada.

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, na sigla em inglês) atribuiu a mudança de planos ao mau tempo no Tibete, em cuja fronteira com o Nepal fica o Everest.

As autoridades também informaram que a imprensa não poderá estar presente quando a tocha sair do Acampamento-Base Norte com direção ao cume.

"Foi cancelado tanto para a imprensa chinesa quanto para a internacional", disse Shao Shiwei, vice-diretor de mídia do Bocog, em entrevista coletiva.

Agora, a imprensa deixará Pequim na hora em que a expedição com a tocha estiver deixando o acampamento. Os jornalistas irão diretamente para o Everest via Lhasa (capital do Tibete), passando dos 54 metros de altitude para 5.360 metros em três dias.

Wang Hui, porta-voz do Bocog, negou que a mudança de planos tenha alguma relação com os recentes distúrbios no Tibete e arredores.

"Não se trata do Tibete. Tentamos ao máximo arranjar isso para vocês, (mas) é tudo por causa das condições climáticas incertas", afirmou o porta-voz.

De acordo com Shao, as mudanças foram adotadas para que a imprensa não tenha de passar longos períodos no acampamento-base antes da tentativa de escalada.   Continuação...