Brasil deve aprender com China para 2016, diz Havelange

segunda-feira, 4 de agosto de 2008 12:17 BRT
 

Por Javier Leira

PEQUIM (Reuters) - O Brasil precisará imitar o exemplo da China se quiser organizar os Jogos Olímpicos de 2016, afirmou nesta segunda-feira João Havelange, ex-presidente da Fifa.

O Rio de Janeiro foi uma das cidades a passar pelo primeiro corte do Comitê Olímpico Internacional (COI) e continua na disputa pelo direito de receber a Olimpíada de 2016, ao lado de Madri, Chicago e Tóquio.

"O Brasil é um país que foi alvo de muitas preocupações, assim como a China", afirmou Havelange a jornalistas, na Vila Olímpica de Pequim, depois da cerimônia de hasteamento da bandeira brasileira, nesta segunda-feira.

"Estamos lutando por 2016. Temos que ver o que a China fez. O Brasil é um país que merece ser uma potência mundial e, pouco a pouco, conseguiremos isso", acrescentou Havelange, membro do COI e, durante 24 anos, comandante a Fifa.

O brasileiro elogiou a organização dos Jogos de Pequim e disse que ele teria sido um dos responsáveis pelo fato de a capital chinesa haver sido escolhida.

"Estes Jogos são os melhores da história, os mais perfeitos em termos de instalações e de recepção aos atletas", disse Havelange, que integra o COI desde 1963.

O ex-presidente da Fifa afirmou ainda ter ajudado a China a entrar no mundo dos esportes olímpicos e que, desde 1975, manteve contato com as autoridades do país a fim de que o gigante asiático ocupasse um lugar de destaque dentro do mundo dos esportes.

O COI escolherá a cidade-sede da Olimpíada de 2016 em uma reunião do Comitê Executivo a ser realizada no dia 2 de outubro de 2009, em Copenhague. Os Jogos de 2012 serão em Londres.   Continuação...