Time não se monta sobre individualidade, diz Bernardinho

domingo, 24 de agosto de 2008 07:28 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

PEQUIM (Reuters) - O técnico da seleção masculina de vôlei, Bernardinho, defendeu neste domingo sua opção pelo levantador Marcelinho em lugar de Ricardinho, considerado em 2007 o melhor do mundo em sua posição, mas afastado pelo treinador após desentendimentos ocorridos há cerca de um ano.

Muita polêmica envolveu o afastamento do jogador e, com a derrota para os Estados Unidos na final olímpica de Pequim, o assunto voltou à pauta.

Para Bernardinho, tecnicamente, Ricardinho fez falta na equipe, mas se outros fatores forem considerados, como o espírito de grupo tão prezado pela seleção, ele não seria a escolha correta para a equipe.

"Seria hipocrisia da minha parte dizer que um jogador como o Ricardo não faria falta, mas será que só é isso que é importante? Será que nós chegaríamos até aqui do jeito que as coisas estavam andando no ano passado? Essa era a questão", disse o técnico campeão olímpico em 2004.

"Você não pode montar um time em cima de individualidade", acrescentou.

De acordo com Bernardinho, Marcelinho teve um ano "fantástico" e que gostaria de agradecer ao jogador depois de oito anos de trabalho na seleção.

"Agradeço por ele ter suportado a pressão. Levou o Brasil ao título da Copa do Mundo...chegamos à final olímpica com alguns duvidando. Ele fez o papel dele, de maneira mais do que honrosa."

Marcelinho estava inconsolável ao final do jogo e afirmou a jornalistas que passou a sofrer forte pressão depois que foi alçado à posição de levantador titular.   Continuação...

 
<p>Bruninho gesticula atr&aacute;s de Dante durante a final do Jogos de Pequim contra os EUA. Os norte-americanos venceram por 3 sets a 1. Photo by Stefano Rellandini</p>