COI alerta sobre veto a manifestações políticas nos Jogos

segunda-feira, 19 de maio de 2008 12:48 BRT
 

Por Karolos Grohmann

LONDRES (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) afirmou aos Comitês Olímpicos Nacionais que seus atletas não devem realizar declarações políticas durante a Olimpíada de Pequim.

À medida que aumentam os temores de que ocorram protestos contra a China depois das operações militares de repressão realizadas no Tibete, as redes de TV devem intensificar seus esforços para impedir, durante os Jogos, a divulgação de manifestações eventualmente feitas por torcedores, atletas ou autoridades.

A Rede de Transmissão Olímpica de Pequim (BOB, na sigla em inglês), uma joint venture formada pelos organizadores do evento e os Serviços de Transmissão Olímpicos, do COI, é a responsável por produzir as imagens de todas as competições e por divulgá-las para os detentores dos direitos de transmissão.

"A rede de difusão olímpica precisa proteger os Jogos e nós ouvimos esse tipo de coisa em todas as edições das Olimpíadas", disse na segunda-feira um cinegrafista que participou de várias coberturas do evento nos últimos anos. O profissional não quis ter sua identidade revelada.

"Não há chance nenhuma de um protesto ser mostrado ao vivo em Pequim se o BOB estiver no comando", disse.

Em um comunicado enviado no começo deste mês para todos os Comitês Olímpicos Nacionais, o COI disse que os atletas deveriam respeitar a regra 51.3 da Carta Olímpica, que determina que questões políticas não devem ser abordadas durante os Jogos.

"Os Jogos giram em torno dos esportes. Não há lugar para qualquer tipo de manifestação política", afirmou o COI em seu comunicado.

"A conduta de todos os presentes nas instalações (olímpicas) diz respeito a todos os atos, reações, atitudes ou manifestações de qualquer tipo feitos por uma pessoa ou grupo de pessoas, incluindo, mas não se limitando a, sua aparência, suas roupas, seus gestos e suas declarações, por escrito ou orais", afirmou o COI.   Continuação...