Itália diz que morte de torcedor foi desculpa para violência

terça-feira, 13 de novembro de 2007 18:06 BRST
 

Por Stephen Brown

ROMA (Reuters) - O ministro do Interior da Itália acusou na terça-feira a torcida de usar a morte de um torcedor -- atingido por um policial -- como desculpa para o quebra-quebra que suspendeu vários jogos no país, e prometeu "cortar a violência pela raiz".

Gabriele Sandri, 26, foi morto aparentemente por um tiro acidental disparado pela polícia depois de uma briga entre torcidas. Enquanto o corpo era velado em Roma, os atuais campeões da Copa do Mundo refletiam sobre o problema da violência no futebol.

Pichações em Roma prometiam mais quebra-quebra e vingança contra a polícia. A polícia está investigando o que chamou de um "erro trágico". O ministro Giuliano Amato disse que os torcedores aproveitaram o incidente para retomar uma guerra que a polícia tinha interrompido após a morte de um policial em confrontos em fevereiro.

"A violenta reação à morte de Gabriele Sandri mostra que eles estavam procurando uma oportunidade -- e acharam", disse Amato. "Isso lhes deu um novo motivo para sua vingança e para seu ódio à polícia", afirmou o ministro.

A federação italiana de futebol suspendeu as partidas da segunda e da terceira divisão do país por causa da violência. Não havia jogos domésticos importantes marcados porque a Itália vai enfrentar a Escócia pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

As medidas foram bem menos drásticas que as tomadas em fevereiro, quando todos os jogos foram suspensos enquanto a segurança não era reforçada. Políticos pediram providências mais duras. "Não basta parar a série B por um domingo e a série C, devíamos parar a primeira divisão, pois é em torno dela que todo o maquinário do futebol gira", disse o ministro Paolo Ferrero, de Questões Sociais.

Centenas de torcedores promoveram um quebra-quebra na Itália depois da morte de Sandri, que aconteceu depois de choques entre a torcida do Lazio e da Juventus, num posto de gasolina.

Em Roma, um quartel da polícia foi apedrejado, carros foram incendiados e jogos foram cancelados -- inclusive a partida entre Atalanta e Milan, que teve uma tentativa de invasão do campo. Dezenas de torcedores foram presos, e 40 policiais ficaram feridos em Roma.

(Reportagem adicional de Gabriele Pileri)