23 de Outubro de 2007 / às 03:17 / em 10 anos

Presidente da China pede eficiência olímpica no Congresso do PC

Por Nick Mulvenney

PEQUIM (Reuters) - Em um sinal da importância que a China dedica à organização dos Jogos Olímpicos de 2008, o presidente do país, Hu Jintao, citou o evento durante seu discurso no 17o Congresso do Partido Comunista Chinês, nesta segunda-feira.

A China investe muito do seu prestígio na Olimpíada de Pequim, que muitos vêem como uma espécie de festa de apresentação do poderio do país, transformado em potência econômica nos últimos anos.

“Devemos organizar bem os Jogos Olímpicos e os Jogos Paraolímpicos de 2008 e a Exposição Mundial de 2010”, disse Hu no discurso feito na maior reunião do PC chinês nos últimos cinco anos.

Muitos analistas prevêem que a China vai liderar o quadro de medalhas e se consolidar como uma superpotência esportiva. Mas o país espera que o legado olímpico vá além dos 23 mil atletas de elite participantes e incentive o crescimento do esporte entre seus 1,3 bilhão de habitantes.

Essa meta também foi citada por Hu. “Devemos desenvolver de forma abrangente a participação dos esportes de massa entre as pessoas”, afirmou.

A Olimpíada de Pequim tem apoio quase unânime dos chineses, e os funcionários do Comitê Olímpico Internacional (COI) que visitam a capital chinesa são pródigos em elogios.

O controle sobre a próspera economia chinesa foi um dos principais temas do discurso de Hu, e um subproduto desse crescimento -- a poluição -- continua sendo o principal obstáculo ao sucesso dos Jogos.

O presidente do COI, Jacques Rogge, disse em agosto que algumas provas de resistência poderão ser adiadas caso a qualidade do ar em Pequim esteja ruim.

“Ainda precisamos exercer mais esforços (contra a poluição) para a Olimpíada, bem como tornar a capital uma cidade mais habitável”, disse o dirigente comunista pequinês Liu Qu durante o Congresso.

Os organizadores também prometem melhorar a segurança alimentar e reforçaram a promessa feita na época da candidatura olímpica de “ajudar os países pobres e em desenvolvimento a participarem”.

“Prometemos estabelecer uma fundação esportiva para ajudar (esses países) a desenvolverem o esporte”, disse Liu Jingmin, vice-presidente executivo do comitê organizador.

Também há muitas especulações, especialmente entre entidades ocidentais, sobre o tratamento a ser dado pelo governo a dissidentes.

Uma possível dica apareceu na segunda-feira, quando um manifestante que estava diante da contagem regressiva para os Jogos, na praça Tiananmen, foi levado embora em um camburão.

A segurança e a qualidade do ar devem ser pontos importantes a serem tratados pelos inspetores do COI em sua nona visita a Pequim, a partir do dia 23.

A Olimpíada de Pequim começa em 8 de agosto. A Paraolimpíada, em 6 de setembro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below