Atletas franceses prometem gesto por direitos humanos na China

quarta-feira, 2 de abril de 2008 13:51 BRT
 

Por Chrystel Boulet-Euchin

PARIS (Reuters) - Atletas franceses pretendem usar durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto, um símbolo chamativo mostrando sua preocupação com os direitos humanos, afirmou na quarta-feira o bicampeão olímpico de judô David Douillet.

"Temos coisas a dizer e vamos dizê-las", disse Douillet, co-presidente da comissão de atletas junto ao Comitê Olímpico Francês. As declarações dele foram dadas em uma entrevista coletiva realizada em Paris.

A iniciativa será apresentada oficialmente pelos atletas em uma entrevista marcada para sexta-feira, acrescentou Douillet, que está aposentado das competições e hoje é membro da federação francesa de judô.

"Vamos anunciar na sexta-feira qual o símbolo chamativo que usaremos na passagem da tocha olímpica (em Paris, na segunda-feira) e na cerimônia de abertura dos Jogos", afirmou.

A entrevista de quarta-feira foi convocada pelo Comitê Olímpico da França antes da chegada da tocha ao país.

O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, afirmou que uma faixa manifestando o apoio da cidade aos direitos humanos em todo o mundo seria exibida na frente da prefeitura da capital naquele dia.

O primeiro a carregar a tocha em Paris será o ex-campeão mundial dos 400 metros com barreira Stéphane Diagana.

"Acho que podemos expor nossas opiniões e, ao mesmo tempo, permitir que a tocha continue avançando rumo a Pequim. Mas precisamos enviar para a China a mensagem de que esse país não cumpriu suas obrigações", afirmou Diagana à Reuters.

"O que podemos fazer é algo não contra a China, mas a favor dos direitos humanos. Na condição de seres humanos, é nosso dever intervir", acrescentou.